Autocarro incendiou-se na A8 com 28 passageiros a bordo

Aconteceu na manhã deste sábado na A8, perto de Venda do Pinheiro. Motorista e passageiros escaparam ilesos mas o autocarro ardeu por completo.

Um autocarro da EVA Transportes incendiou-se nesta manhã, na A8, próximo de Venda do Pinheiro no sentido Sul/Norte. Não há vítimas a lamentar mas, segundo avançou ao DN o Comando Geral da GNR, o veículo "ardeu por completo", "continua [às 14.15] no local a aguardar a remoção" e a circulação está "condicionada", fazendo-se apenas "pela via da esquerda" naquele sentido.

"O autocarro trazia 28 passageiros, mais o motorista, mas saíram todos ilesos, uma vez que assim que começou a deitar fumo do motor ausentaram-se todos do veículo", disse ao DN o major Adriano, oficial de serviço no comando da GNR. O militar não quis avançar muitos detalhes sobre a causa do acidente, adiantando apenas que terá sido originado "por uma falha mecânica".

Quanto aos tripulantes, confirmou, nenhum deles teve de receber assistência médica, tendo sido encaminhados para o seu destino num novo autocarro. "A própria empresa, a EVA, fez o transbordo dos passageiros", disse.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.