Comandante da GNR acusado de castigar militares que passam poucas multas

Os militares, em abaixo-assinado, contestam o comandante do posto do Sameiro

A Associação Nacional dos Sargentos da Guarda (ANSG) anunciou na quarta-feira que vai apoiar o comandante do Posto da GNR do Sameiro, do Comando de Braga, que foi acusado pelos militares de castigar quem passe poucas multas.

Segundo noticiou o Jornal de Notícias, os militares, em abaixo-assinado, contestam o comandante do posto do Sameiro e ameaçam mesmo avançar com uma queixa-crime, alegando que estão "desmotivados e apavorados" com "a coação e as ameaças".

Em causa, segundo avança o jornal, estão alegados castigos aos militares que passem poucas multas.

"Caberá ao Comando da Guarda a defesa dos seus militares, perceber e resolver os problemas e dificuldades sentidas pelo conjunto dos militares daquele Posto, inclusive se já haviam sido reportados hierarquicamente, como se obriga, ou se trata apenas de um aproveitamento mediático, de alguém que arrasta os militares para o cometimento de infrações disciplinares", refere a associação em comunicado.

A ANSG garante ainda que "não vacilará no apoio ao Sargento Comandante do Posto do Sameiro do Comando de Braga".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).