Professor acusado de mais de 500 crimes de abuso sexual começa a ser julgado em Beja

Cinco alunas terão sido vítimas dos alegados abusos, a partir do ano letivo de 2015/2016 e durante três anos letivos

Rui Salvador
© Arquivo Global Imagens

O Tribunal de Beja começou esta segunda-feira a julgar um professor, de 48 anos, de uma escola básica no distrito que está acusado de mais de 500 crimes de abuso sexual de cinco alunas.

Na primeira sessão do julgamento, que decorre à porta fechada, foi lida a acusação do Ministério Público (MP) e ouvidas as mães das vítimas, que são assistentes no processo, tendo o arguido recusado prestar declarações.

O homem, detido no dia 22 de novembro de 2017 e que se encontra em prisão preventiva, está acusado de um total de 536 crimes, dos quais 534 são de abuso sexual de crianças, um é por posse de pornografia infantil e o outro por maus-tratos.

Fontes ligadas ao processo indicaram à agência Lusa que os alegados abusos sexuais foram perpetrados sobre cinco alunas, a partir do ano letivo 2015/2016 e durante três anos letivos.

Em relação aos crimes de abuso sexual, precisaram, "375 terão sido praticados sobre a mesma aluna, 87 dizem respeito a outra e 69 a mais uma menina", enquanto os restantes três dizem respeito às duas outras alunas.

Aquando da detenção, em novembro do ano passado, a Polícia Judiciária (PJ) revelou que o homem, "usando da ascendência que lhe conferia o estatuto de professor", conseguiu que "as suas alunas, menores de oito anos, se sujeitassem a atos de natureza sexual por ele praticados" desde 2015 na escola do 1.º ciclo do ensino básico do distrito de Beja onde lecionava.

As crianças já depuseram para memória futura e relataram os abusos de que alegadamente foram alvo por parte do professor.

O docente alegadamente ameaçava as crianças para que mantivessem o silêncio, mas o caso foi denunciado pela mãe de uma das alunas que terá sido abusada, tendo o homem sido detido pela Polícia Judiciária.

O julgamento deste caso no Tribunal de Beja prossegue na quarta-feira, às 09:45, estando também uma outra sessão já agendada para dia 17 deste mês.