Mestrados da Católica entre os melhores do mundo

Faculdade de Ciências Humanas foi reconhecida pela qualidade dos seus mestrados no ranking internacional da Eduniversal. O diretor da Faculdade, professor Nelson Ribeiro, explica investimento que compensa

Joana Petiz
© DR

A Faculdade de Ciências Humanas acaba de ver os seus Mestrados serem reconhecidos pelo prestigiado ranking internacional da Eduniversal. O Diretor da Faculdade, Professor Nelson Ribeiro, explica estes resultados pela excelência do ensino, pela aposta na internacionalização e pela relevância das parcerias estratégicas.

Os programas de Mestrado em Estudos de Cultura e em Ciências da Comunicação estão entre os melhores do Mundo. Como veem este reconhecimento?

O Mestrado em Estudos de Cultura surge como o 4.º melhor do mundo na categoria "Gestão das Indústrias Culturais e Criativas", sendo o único programa de Mestrado nacional no top 40. Já o Mestrado em Ciências da Comunicação está entre os 15 melhores da Europa na área da Comunicação, distinguindo-se por ser o único mestrado português classificado entre os 20 melhores. Uma vez mais, posicionamo-nos à frente de reputadas universidades francesas, alemãs e inglesas, o que significa o reconhecimento do trabalho que temos vindo a ser de aposta na qualidade do ensino, na criação de sinergias com o mercado empresarial e na internacionalização.

Que fatores considera determinantes para se estar entre as melhores Faculdades do mundo?

A agência internacional Eduniversal avalia anualmente milhares de programas e elabora o ranking com base na reputação dos cursos, no nível de empregabilidade, no grau de satisfação dos alunos e no nível de internacionalização das escolas. A excelência de ensino e inovação pedagógica, a elevada qualificação dos docentes, a qualidade dos alunos admitidos são, sem dúvida, fatores que nos têm levado a permanecer neste ranking e a melhorar a nossa classificação, de ano para ano.

A aposta na internacionalização e na criação de parcerias estratégicas tem contribuído também para os bons resultados alcançados?

Sim, certamente. O Mestrado em Estudos de Cultura integra a rede The Lisbon Consortium, é 100% lecionado em inglês e resulta de uma parceria entre a Universidade, a Câmara Municipal de Lisboa e diversas instituições culturais da cidade de Lisboa, bem como parceiros internacionais como a Fundação Tapies e o Arte Institute. Quanto ao Mestrado em Ciências da Comunicação recebe, que este ano subiu 10 posições no ranking, temos expandido de modo consistente as possibilidades de intercâmbio a nível internacional. Todos os alunos alunos deste Mestrado têm a possibilidade de estudar nos EUA, ao abrigo do Global Scholar Exchange, através do qual recebemos também alunos da Kent State University. Contribuem também para a qualidade e prestígio deste Mestrado a nossa vasta lista de parceiros, nomeadamente a RTP, a a Porter Novelli e o Observatório da Comunicação Interna, que anualmente atribuem prémios e aos nossos alunos.

Qual o principal impacto que este reconhecimento internacional tem tido na Faculdade de Ciências Humanas?

O maior impacto tem sido no aumento da procura dos nossos Mestrados por parte de estudantes internacionais. O Mestrado em Ciências da Comunicação é composto atualmente por cerca de 25% de alunos internacionais enquanto no Mestrado em Estudos de Cultura essa percentagem ronda os 80%. A procura tem sido cada vez maior por parte estudantes oriundos sobretudo da Alemanha, dos países escandinavos, mas também dos Estados Unidos e da Ásia.