Fenprof reitera greve. Reunião com Governo foi "comédia de mau gosto"

Na sua página de Facebook, a Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anuncia uma semana de greve entre 1 e 5 de outubro, que terminará com uma manifestação no Dia Mundial do Professor

Joana Capucho
Greve dos professores às avaliações deixou milhares de alunos sem saber as notas finais© PAULO CUNHA/LUSA

"Esta reunião não foi mais do que uma comédia de mau gosto. Hoje, 7 de Setembro, o governo volta a dizer que não conta o tempo de serviço e não apresentou uma proposta quanto às formas de combater o desgaste existente na profissão". A reação foi publicada esta sexta-feira à tarde, na página do Facebook da Federação Nacional de Professores (Fenprof), na sequência da reunião entre os sindicatos de professores e o Ministério da Educação.

Foi sem alterações de posição no braço-de-ferro que dura desde novembro de 2017 que as partes voltaram a sentar-se à mesa para tentar encontrar um consenso para a contagem do tempo de serviço, com uma ameaça de greve dos docentes em cima da mesa.

Na publicação feita no Facebook, a Fenprof diz que "os professores vão através da luta mostrar ao governo a sua força porque não são filhos de um Deus menor". E anuncia que "de 1 a 5 de outubro será outra grande semana de luta. Greves toda a semana que acabará com uma grande Manifestação Nacional no Dia Mundial do Professor".

O governo não pode, diz a estrutura sindical, "continuar a dizer que conta o tempo aos outros mas não aos professores".

Segundo a Fenprof, "de 17 a 21 será distribuído um texto explicativo do que se passa com os professores".