Ambientalistas da ZERO pedem reunião ibérica sobre "situação crítica" no Tejo

A associação refere que a "situação tem vindo a agravar-se" em Perais (no concelho de Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco) e na albufeira de Fratel (no distrito de Portalegre)

Susete Henriques
Arquivo© Pedro Martins/ Global Imagens

A associação ambientalista ZERO pediu esta quarta-feira uma "reunião urgente" entre Portugal e Espanha para encontrar uma "solução para a situação crítica do rio Tejo", assinalando que a qualidade da água tem piorando em algumas zonas.

Em comunicado, a ZERO - Associação Sistema Terrestre Sustentável refere que a "situação tem vindo a agravar-se" em Perais (no concelho de Vila Velha de Ródão, distrito de Castelo Branco) e na albufeira de Fratel (no distrito de Portalegre), porque a água tem registado valores de oxigénio dissolvido abaixo dos limites mínimos.

Em Perais, assinala a organização, as medições registadas "refletem essencialmente a qualidade da água proveniente de Espanha".

Neste contexto, a ZERO considera que as "questões da qualidade da água têm de ser obrigatoriamente incluídas" na Convenção de Albufeira, que regula a gestão ibérica do rio Tejo.

Há duas semanas a Agência Portuguesa do Ambiente alertou para o agravamento da água no rio Tejo

Segundo a associação, parâmetros da qualidade da água, como a quantidade de microalgas e os níveis de azoto e fósforo, devem ser considerados.

O comunicado da ZERO surge duas semanas depois de a Agência Portuguesa do Ambiente ter alertado para o agravamento da qualidade da água do rio Tejo, na albufeira de Fratel, no troço entre Perais e Cais do Arneiro, e ter pedido a Espanha "medidas de gestão de caudais a montante, na parte espanhola da bacia".