Chegou o verão. Então, que tempo é este?

As condições climatéricas estão a ser influenciadas por uma "depressão que está situada a oés-sudoeste do território", e por "uma massa de ar quente e húmida". Aguaceiros e trovoadas ficam até sexta-feira

O verão chegou esta quinta-feira, mas não parece. Tudo por "culpa" dos aguaceiros, acompanhados por granizo e trovoada, que vão manter-se até sexta-feira, segundo disse ao DN a meteorologista Joana Sanches.

A instabilidade vai manter-se até domingo

"As condições de instabilidade vão manter-se para o resto do dia de hoje e para amanhã, em especial na região Norte e Centro", explica Joana Sanches, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Não é ainda a altura de guardar o chapéu de chuva. "A instabilidade vai manter-se até domingo". Embora com "menor intensidade", espera-se para o fim de semana a ocorrência de "aguaceiros acompanhados por trovoada sobretudo nas regiões do Norte e Centro e no interior destas regiões".

No fim de semana, a máxima deverá situar-se entre os 34 e os 36 graus na região do Nordeste Transmontano

Apesar de já estarmos no verão, esta não é "uma situação atípica", esclarece Joana Sanches. Estas condições climatéricas estão a ser influenciadas por uma "depressão que está situada a oés-sudoeste do território", e por "uma massa de ar quente e húmida", que vai "manter-se nos próximos dias" explica a meteorologista.

As temperaturas máximas vão rondar os 30 graus em todo o país. "Com os dados que temos, é possível que sejam emitidos avisos para a região do nordeste transmontano devido às elevadas temperaturas", revela. A máxima para esta região deverá situar-se "entre os 34 e os 36 graus".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.