Chegou o verão. Então, que tempo é este?

As condições climatéricas estão a ser influenciadas por uma "depressão que está situada a oés-sudoeste do território", e por "uma massa de ar quente e húmida". Aguaceiros e trovoadas ficam até sexta-feira

O verão chegou esta quinta-feira, mas não parece. Tudo por "culpa" dos aguaceiros, acompanhados por granizo e trovoada, que vão manter-se até sexta-feira, segundo disse ao DN a meteorologista Joana Sanches.

A instabilidade vai manter-se até domingo

"As condições de instabilidade vão manter-se para o resto do dia de hoje e para amanhã, em especial na região Norte e Centro", explica Joana Sanches, do Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Não é ainda a altura de guardar o chapéu de chuva. "A instabilidade vai manter-se até domingo". Embora com "menor intensidade", espera-se para o fim de semana a ocorrência de "aguaceiros acompanhados por trovoada sobretudo nas regiões do Norte e Centro e no interior destas regiões".

No fim de semana, a máxima deverá situar-se entre os 34 e os 36 graus na região do Nordeste Transmontano

Apesar de já estarmos no verão, esta não é "uma situação atípica", esclarece Joana Sanches. Estas condições climatéricas estão a ser influenciadas por uma "depressão que está situada a oés-sudoeste do território", e por "uma massa de ar quente e húmida", que vai "manter-se nos próximos dias" explica a meteorologista.

As temperaturas máximas vão rondar os 30 graus em todo o país. "Com os dados que temos, é possível que sejam emitidos avisos para a região do nordeste transmontano devido às elevadas temperaturas", revela. A máxima para esta região deverá situar-se "entre os 34 e os 36 graus".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.