Aeroporto de Lisboa recebeu mais de 600 queixas em 2017

TAP e SATA Açores são as entidades ligadas aos transporte aéreo que registam mais reclamações

O aeroporto de Lisboa recebeu 611 queixas de passageiros no ano passado, o que representa um aumento de 12.4% face ao número de reclamações que recebeu no ano anterior (535). Um crescimento que acompanha a subida do número de passageiros na infraestrutura aeroportuária, que no mesmo período registou um aumento na ordem dos 18%. Em 2017, passaram pelo aeroporto da capital mais de 26 milhões de passageiros.

De acordo com os dados da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC), no total, os aeroportos portugueses foram alvo de 1151 queixas no ano passado, mais 236 do que no ano anterior, sendo que as infraestruturas de Lisboa e Porto são aquelas que reúnem mais de 70% das reclamações.

Tal como em Lisboa, o número de queixas de passageiros também registou um aumento no aeroporto do Porto. Enquanto em 2016 foram recebidas 198 reclamações, no ano passado registaram-se 290.

TAP gera mais descontentamento

Segundo os relatórios da ANAC, as companhias aéreas nacionais são aquelas que geram mais descontentamento entre os utilizadores. No primeiro lugar do ranking das queixas surge a TAP, transportadora aérea que no ano passado recebeu 6276 reclamações e em segundo lugar a SATA Açores com 1130.

Quanto aos motivos do descontentamento, a maioria dos utilizadores queixa-se de cancelamentos de voos, atrasos nos voos, com e sem perdas de ligações. Seguem-se os problemas com as bagagens e as perdas dos voos.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.