Merkel exprime "tristeza e choque" e agradece trabalho de socorristas

Chanceler alemã reagiu ao acidente com um autocarro na ilha da Madeir que provocou a morte de 29 turistas alemães. Angela Merkel exprimiu "sincera solidariedade com todas as famílias". MNE alemão desloca-se à ilha.

A chanceler alemã, Angela Merkel, manifestou esta quinta-feira "tristeza e choque" na sequência do acidente com um autocarro na ilha da Madeira, na quarta-feira, que provocou a morte de 29 turistas alemães.

Em comunicado, Angela Merkel exprimiu "sincera solidariedade com todas as famílias que perderam os seus entes queridos" na tragédia e disse esperar que os feridos e os seus familiares recuperem dos traumas físicos e psicológicos.

A chefe do Governo alemão agradeceu ainda às equipas de emergência portuguesas "que estão a trabalhar em circunstâncias difíceis no local do acidente".

Já na quarta-feira, poucas horas após o acidente, o porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert, lamentou as "notícias terríveis" da Madeira e manifestou "uma dor profunda por todos aqueles que perderam a vida na queda do autocarro".

Na rede social Twitter, o porta-voz do Governo alemão deixou ainda os contactos do serviço de negócios estrangeiros para os membros das famílias que pretendessem informações.

MNE alemão viaja para a Madeira

Também o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão fez saber que viaja esta quinta-feira para a Madeira com uma equipa de médicos, psicólogos e funcionários consulares para "falar com os afetados e agradecer a ajuda" portuguesa, após o acidente.

Em comunicado enviado hoje, na sequência do acidente com um autocarro na ilha da Madeira, na quarta-feira, que provocou a morte de 29 pessoas, segundo as informações das autoridades regionais todas alemãs, Heiko Maas revela que é "chocante que o feriado da Páscoa se tenha tornado uma tragédia para tantas pessoas".

"Ainda não temos a certeza de quantos alemães estão entre as vítimas", realçou, adiantando que a embaixada da Alemanha em Lisboa está a trabalhar "afincadamente" com as autoridades locais para dispor de mais informação.

"Os nossos pensamentos estão com aqueles que choram os seus familiares e amigos. Todos nós partilhamos a sua dor. Desejo a rápida recuperação de todos os feridos", sublinhou o ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha.

"Hoje voarei para a Madeira com uma equipa de médicos, psicólogos e funcionários consulares do Ministério dos Negócios Estrangeiros para falar com os afetados e agradecer aos amigos portugueses a ajuda", lê-se no documento, revelando que "o embaixador (da Alemanha em Portugal) acaba de aterrar na Madeira".

"Agradecemos aos nossos amigos portugueses pela grande preocupação e disponibilidade durante estas horas difíceis, em particular às equipas de salvamento locais".

Também o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, manifestou esta quinta-feira "profunda tristeza" pelo "trágico acidente" de autocarro.

"Foi com profunda tristeza que tomei conhecimento do trágico acidente de autocarro ocorrido na Madeira, que tirou a vida a 29 cidadãos europeus da Alemanha e deixou muitos outros feridos", afirma Jean-Claude Juncker numa publicação feita na rede social Twitter.

"Os nossos pensamentos estão com todas as vítimas, as suas famílias e amigos", adianta o líder do executivo comunitário, endereçando "as sinceras condolências".

Entretanto, num comunicado publicado por Bruxelas, Jean-Claude Juncker agradece "sinceramente aos serviços de salvamento e às autoridades da Madeira pela sua ação rápida no terreno".

"Os meus maiores desejos de recuperação rápida vão para aqueles que ficaram feridos neste terrível acidente", conclui o responsável.

Pelo menos 29 pessoas morreram no acidente com um autocarro que transportava turistas alemães em Santa Cruz, na Madeira. Uma das vítimas morreu no hospital central do Funchal, onde deram entrada 28 feridos, dois dos quais portugueses. As vítimas mortais, 11 homens e 18 mulheres, são todas alemãs.

[notícia atualizada às 11.30 com a informação do ministro dos Negócios Estrangeiros e do presidente da Comissão Europeia]

Exclusivos