Homem suspeito de matar irmã grávida e pai em Torres Vedras detido na Amadora

O homem suspeito foi detido na madrugada desta segunda-feira na Amadora. Vítimas tinham ferimentos provocados por arma branca.

O homem suspeito de matar a irmã, grávida, e o pai, em Torres Vedras, no fim de semana, foi detido na madrugada desta segunda-feira na Amadora, confirmou fonte da PSP.

Segundo a fonte, o suspeito foi detido na Amadora e entregue à Polícia Judiciária, que deteve o homem por fortes indícios da prática de dois crimes de homicídio qualificado.

O indíviduo de 28 anos foi localizado na Rua D. Carlos I, acompanhado de um outro, também do sexo masculino, escondidos junto a uma viatura, atitude que se tornou suspeita aos polícias. Veio-se a apurar que sobre o homem existia um pedido de paradeiro.

Uma mulher grávida e o pai foram encontrados mortos no sábado, numa habitação em Santa Cruz, no concelho de Torres Vedras, distrito de Lisboa. As autoridades foram alertadas para o eventual crime pelas 11:30.

Clientes da peixaria, da qual o homem era proprietário e que se situa junto à habitação, estranharam o estabelecimento estar encerrado e ninguém responder na habitação, segundo explicou o comandante dos bombeiros de Torres Vedras, Fernando Barão.

Os populares alertaram bombeiros e autoridades que, depois de arrombarem a porta, vieram a encontrar o homem, entre os 50 e os 60, e a filha, de 37 anos, mortos na casa que todos partilhavam, devido a ferimentos provocados por arma branca.

De acordo com uma nota enviada pela Policia Judiciária às redações, "os crimes foram praticados na sequência de uma altercação entre o agressor e o seu pai, por este o repreender pela forma dissoluta como aquele, com hábitos de consumo de estupefacientes, levava a sua vida".

"O suspeito colocou-se, de seguida, em fuga numa viatura que pertencia à sua irmã", acrescentou a PJ, que deu conta de que o presumível autor do crime utilizou três armas brancas diferentes.

O detido vai ser presente a primeiro interrogatório judicial, no qual lhe serão aplicadas as medidas de coação processual adequadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG