Governo apela às autarquias para cumprirem medidas de contenção

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde alertou que qualquer violação das medidas decretadas pelo Conselho de Ministros poderá pôr em causa a saúde pública.

António Lacerda Sales, secretário de Estado Adjunto e da Saúde apelou esta quarta-feira aos autarcas dos concelhos incluídos na lista dos 121 municípios considerados de risco elevado de contágio de covid-19 para que cumpram as novas medidas de contenção da pandemia.

"O apelo que fazemos, e acho que nem será necessário porque todos os autarcas são muito conscientes nesta matéria, é obviamente cumprir as medidas que foram tomadas em Conselho de Ministros", disse Lacerda Sales durante a conferência de imprensa sobre a situação epidemiológica em Portugal.

No sábado, o Conselho de Ministros decidiu que 121 municípios ficam abrangidos, desde hoje, pelo dever cívico de recolhimento domiciliário, novos horários nos estabelecimentos e teletrabalho obrigatório, salvo "oposição fundamentada" pelo trabalhador.

Alguns concelhos, como Alcácer do Sal e Moimenta da Beira, contestaram no entanto a sua inclusão nessa lista, alegando que se tratou de um erro. Questionado sobre estas declarações, o secretário de Estado avisou que todos os concelhos abrangidos (aqueles que têm mais de 240 casos de infeção com o vírus da covid-19 por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias) devem cumprir as novas medidas.

"Qualquer violação destas medidas poderá pôr em causa aquilo que são as medidas sanitárias e os respetivos resultados em termos de saúde pública", alertou, ressalvando que não acredita que isso aconteça.

Durante a conferência, António Lacerda Sales aproveitou ainda para revelar que o índice de transmissibilidade de infeção tem vindo a registar uma diminuição nas últimas semanas. À data de hoje, o chamado Rt era 1,14, em comparação com o valor de 1,27 registado em 10 de outubro e para a região Norte, que continua a ter o maior número de infeções, o Rt é hoje de 1,13 (era 1,36 em 10 de outubro).

O secretário de Estado atualizou também o número de camas afetas à covid-19 disponíveis e da taxa de ocupação das enfermarias e Unidades de Cuidados Intensivos, que ultrapassa já os 85%. "A nível nacional, neste momento, das 17 216 camas em enfermaria e das 892 que temos em UCI, temos afetas à covid-19 2370 camas em enfermaria e 373 em UCI. Temos neste momento ocupadas em camas de enfermaria 2012 e em UCI 325", precisou.

Significa isso que a taxa de ocupação de camas de enfermaria de doentes com covid-19 situa-se nos 85%, sendo de 87% nas UCI.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG