Em Braga. Três mortos e 42 infetados num lar de idosos

Três idosos acolhidos no Asilo de S. José, em Braga, morreram nos últimos dias com covid-19, havendo outros 23 utentes infetados, disse hoje o presidente da direção à Lusa. Também há infectados num lar de Barcelos.

Segundo José Cunha, a terceira morte registou-se na tarde de hoje, no Hospital de Braga, onde a vítima estava internada há cerca de uma semana. As outras duas mortes ocorreram igualmente no hospital. Os testes realizados a 19 utentes revelaram-se inconclusivos, pelo que serão repetidos.

De acordo com o mesmo responsável, 18 funcionários estão igualmente infetados.

"A nossa grande prioridade agora é encontrar pessoal que possa vir trabalhar, para substituir as funcionárias que estão há uma semana a fazer 12 horas por dia", disse José Cunha.

Para o efeito, estão a ser feitas diligências junto de várias entidades, como Centro de Emprego, Cruz Vermelha, Segurança Social e bolsas de voluntariado, no sentido de conseguir as 15 pessoas necessárias para assegurar o funcionamento do lar nos próximos 15 dias.

"São todos de idade elevada, com 107 anos, com 100, com 90 e muitos, muitos deles com várias patologias associadas, o que torna a situação muito, muito complicada, mas nós estamos, naturalmente, a fazer tudo o que está ao nosso alcance para tratar dos nossos utentes."

Entretanto, o lar vai resolver "internamente" o problema dos infetados. No logradouro, foram instaladas duas tendas para acolher os funcionários. Os utentes infetados que não têm autonomia serão acolhidos no salão polivalente do lar, que assim se tornará numa espécie de enfermaria.

O lar conta, neste momento, com 103 utentes, de idade elevada.

"São todos de idade elevada, com 107 anos, com 100, com 90 e muitos, muitos deles com várias patologias associadas, o que torna a situação muito, muito complicada, mas nós estamos, naturalmente, a fazer tudo o que está ao nosso alcance para tratar dos nossos utentes", disse ainda José Cunha.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 119 mortes, mais 19 do que na véspera (+19%), e registaram-se 5962 casos de infeções confirmadas, mais 792 casos em relação a sábado (+15,3%).

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 667 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 31 mil.

Dos casos de infeção, pelo menos 134,7 mil são considerados curados.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registaram-se 119 mortes, mais 19 do que na véspera (+19%), e registaram-se 5962 casos de infeções confirmadas, mais 792 casos em relação a sábado (+15,3%).

Dos infetados, 486 estão internados, 138 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 43 doentes que já recuperaram.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 2 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00h00 de 19 de março. Dia 2 o Parlamento reunirá podendo renovar o estado de emergência por mais duas semanas.

Outro caso em Barcelos

Entretanto, a Lusa avançou também que cinco idosos e quatro funcionárias do Centro de Apoio e Solidariedade da Pousa (CASP), em Barcelos, estão infetados com covid-19 e a direção apela à transferência urgente dos restantes 19 utentes por não ter condições de funcionamento.

"Tive hoje a promessa da vice-presidente da Câmara Municipal de Barcelos de que amanhã [segunda-feira] vai retirar daqui os [utentes] que não estão com sintomas", disse à agência Lusa o presidente da direção do CASP, Joaquim Pereira, garantindo que, se tal não acontecer, o lar "vai ter de fechar, porque não tem pessoal".

Segundo Joaquim Pereira, o que está previsto é que os 19 idosos que, para já, estão assintomáticos sejam transferidos para o Hospital Particular de Barcelos.

Quanto aos cinco utentes que testaram positivo, estão em isolamento na instituição e assim deverão continuar se permanecerem, como atualmente, "estáveis".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG