"É preciso moderar as expectativas". Buscas ainda podem durar dias

Depois de encontrado o corpo da segunda vítima confirmada do colapso da EN 255, as operações concentram-se na pedreira maior, onde ainda não há sinais de viaturas. Proteção Civil alerta para dificuldades

Uma pedreira de grandes dimensões e funda, um local de difícil acesso e com partes em risco de derrocada e previsão de chuva. Estes são os fatores que levam a Proteção Civil a admitir que seja difícil encontrar nos próximos dias os corpos das três vítimas do colapso de um troço da estrada entre Borba e Vila Viçosa que ainda estão desaparecidas.

O comandante distrital de Operações de Socorro (CODIS) de Évora adiantou este domingo que neste momento estão quatro bombas de grande potência a drenar água da pedreira maior, "mantendo-se o objetivo de a esvaziar", estando previsto o reforço com mais bombas nas próximas horas. No entanto, José Ribeiro alerta que as operações, que já duram há quase uma semana, podem ainda ser demoradas.

"É um local de grande complexidade, a pedreira mais profunda, de grande dimensão, e não sabemos ainda onde estão as viaturas"

"É preciso moderar as expectativas sobre o desenvolvimento das operações nos próximos dias" assumiu o responsável da Proteção Civil no briefing à comunicação social na manhã deste domingo. "É um local de grande complexidade, a pedreira mais profunda, de grande dimensão, e não sabemos ainda onde estão as viaturas. O local tem acesso muito limitado e além disso há previsão de precipitação para as próximas horas". Além das bombas de drenagem, as operações contam ainda com mergulhadores e um sonar da Marinha, para localizar as duas viaturas que estarão na lagoa. E José Ribeiro deixa uma garantia: as buscas não serão abandonadas.

Recorde-se que o deslizamento de um grande volume de terras e o colapso de um troço da estrada entre Borba e Vila Viçosa, no distrito de Évora, para o interior de poços de pedreira ocorreu na segunda-feira às 15.45. Segundo as autoridades, o colapso de um troço de cerca de 100 metros da estrada 255 terá arrastado para dentro da pedreira contígua, com cerca de 50 metros de profundidade, uma retroescavadora e duas viaturas civis, um automóvel e uma carrinha de caixa aberta.

Na terça-feira à tarde, foi retirado o corpo de um dos dois mortos confirmados e no sábado à noite foi encontrado o segundo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG