Dos 3,99 para 35 ou 98 euros. Quanto vão pagar os utentes da ADSE pelas consultas nos privados a partir de abril

O fim do acordo com o subsistema de saúde dos funcionários públicos já está a ter efeitos, mas os Lusíadas ainda não têm indicação oficial do fim das comparticipações.

Os hospitais da Luz e da CUF vão deixar de ter consultas comparticipadas pela ADSE a partir de meados de abril, pelo que os utentes vão ter de pagar consoante a tabela de preços praticadas por cada uma das unidades hospitalares privadas. Ao contrário, os serviços do hospital dos Lusíadas ainda não receberam qualquer informação formal por parte da sua administração do fim do contrato com o subsistema de saúde dos funcionários públicos.

O DN tentou esta sexta-feira fazer marcações para consultas de clínica geral nesses hospitais particulares, como se se tratasse de um utente da ADSE, e as indicações foram claras: na CUF Descobertas apenas se manterá a comparticipação da ADSE até ao dia 11 de abril, pelo que até a essa data os doentes vão pagar 3,99 euros por cada consulta de clínica geral, mas depois terão de pagar naquela unidade 98 euros, um valor que será comparticipado pelo subsistema de saúde em 20,45 euros mediante o envio do recibo.

Já nos hospitais da Luz, só se manterá a comparticipação até ao dia 15 de abril, com o custo das consultas de clínica geral a ficarem em 3,99 euros. No entanto, já não há vagas até essa data, pelo que não resta alternativa aos utentes senão pagar os 35 euros estabelecidos na tabela de preços daquela unidade hospitalar. Um valor que será reembolsado também em 20,45 euros no prazo de dois meses.

Exclusivos