Condutor que chocou contra terminal detido por condução perigosa

Na origem do acidente que provocou dois feridos - um sem-abrigo e o passageiro francês que estava no carro - pode estar uma falha mecânica ou um problema de saúde do condutor. Afastada pela PSP qualquer motivação criminosa. Mas a colisão provocou o pânico

O Ministério Público deu ordem de detenção ao condutor do carro ao serviço da Uber que embateu ao final da tarde desta quinta-feira numa das entradas do terminal 1 do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, ferindo duas pessoas. Fonte da PSP disse ao DN que a detenção foi feita pelo crime de condução perigosa cuja pena de prisão pode ir até aos três anos ou até aos dois anos no caso de negligência.

Uma - um sem-abrigo, de 49 anos que ali estava no momento - foi atropelada na altura da colisão e foi transportada para o hospital de S. José com fratura exposta numa pena. O seu estado não é considerado grave. O outro ferido é o passageiro, de nacionalidade francesa, que seguia no carro e que sofreu ferimentos sem gravidade numa mão.

Segundo o que as autoridades apuraram até ao momento em causa pode estar uma falha mecânica do carro que levou a que o condutor perdesse o controlo do mesmo à saída do parque do estacionamento. Outra linha de investigação que a polícia está a seguir aponta para um possível problema momentâneo de saúde do motorista pois este é diabético.

O passageiro francês testemunhou à PSP que se apercebeu da aflição do condutor quando perdeu o controlo do veículo involuntariamente. Contou que o carro terá acelerado desenfreadamente contra as portas do terminal.

O motorista, de nacionalidade portuguesa e com 55 anos, está retido pela polícia e já foi submetido ao teste do álcool cujo resultado foi negativo.

Este incidente levou as autoridades a vedar o acesso à zona onde o carro embateu, mas não alterou a rotina do aeroporto.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG