Buscas por pescadores desaparecidos ao largo de Esmoriz continuam hoje de manhã

Naufrágio ocorreu na manhã da última segunda-feira e resultou em um morto

As buscas para encontrar os três pescadores desaparecidos ao largo de Esmoriz, no distrito de Aveiro, continuam esta terça-feira de manhã, depois de durante a noite terem sido infrutíferas, segundo o comandante Fernando Pereira da Fonseca.

Em declarações à agência Lusa, o porta-voz da Autoridade Marítima Nacional (AMN) disse que as buscas feitas durante a noite pela corveta Jacinto Cândido foram infrutíferas e às 08:00 já estavam mais meios no local para continuar a procurar os pescadores.

"Não encontrámos os pescadores desaparecidos. As buscas continuam hoje de manhã com a corveta Jacinto Cândido e com os mesmos meios empenhados na segunda-feira por mar e terra. Estamos também à espera para saber quantos meios aéreos vamos ter por parte da Força Aérea", disse.

A operação de busca pelos três pescadores tinha sido suspensa ao pôr-do-sol, tendo sido conduzidas apenas pela corveta durante a noite.

Com o pôr-do-sol e a diminuição da visibilidade na área, a aeronave C-295 da Força Aérea Portuguesa e as embarcações da Polícia Marítima e da Estação Salva-vidas de Leixões suspenderam o empenhamento.

A embarcação "Mestre Silva", com cerca de 12 metros, registada na Póvoa de Varzim, mas que operava normalmente a partir do porto de Matosinhos, naufragou esta manhã a cerca de 10 milhas (cerca de 19 quilómetros) ao largo de Esmoriz, em Espinho, distrito de Aveiro, com cinco tripulantes a bordo.

Apenas um pescador foi, até agora, resgatado com vida, o mestre da embarcação, Rafael Silva, de 54 anos, natural de Vila do Conde, que recebeu assistência no hospital de Santa Maria da Feira, mas sem inspirar cuidados de maior.

Há uma vítima mortal confirmada, um pescador da Póvoa de Varzim, de 54 anos, enquanto três elementos estão dados como desaparecidos: um pescador de Vila do Conde, de 64 anos, e dois indonésios de 26 e 33 anos.

José Festas, presidente da Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar, revelou, depois de conversar com o único sobrevivente, que o acidente aconteceu após uma onda atingir a embarcação.

"O mestre disse-me que estavam todos a trabalhar quando foram surpreendidos por uma 'volta de mar', uma vaga forte, que virou embarcação. Depois disso, já não tem mais consciência do que se passou", partilhou o dirigente.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG