Taxistas reuniram 45 minutos com chefe da Casa Civil de Marcelo

Encontro foi liderado por Fernando Frutuoso de Melo, o chefe da Casa Civil. Marcelo, a preparar viagem para Nova Iorque, não esteve disponível. Representantes dos taxistas saíram sem prestar declarações

Foram apenas 45 minutos aqueles que os taxistas, através dos seus dois representantes, Florêncio Almeida e Carlos Ramos, reuniram com Belém, nomeadamente com o chefe da casa civil Fernando Frutuoso de Melo.

Segundo foi possível saber os taxistas não tinham muita esperança numa reviravolta com esta reunião. Ainda assim, após o encontro os dois representantes deixaram Belém sem falar aos jornalistas pois queriam informar, na Avenida da Liberdade, os seus colegas da profissão sobre os resultados da reunião.

Os taxistas protestam contra a entrada em vigor, em 1 de novembro, da lei que regula as quatro plataformas eletrónicas de transporte que operam em Portugal -- Uber, Taxify, Cabify e Chauffeur Privé.

A legislação foi promulgada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, em 31 de julho. O mesmo Marcelo que nãon esteve presente este sábado em Belém por estar a preparar uma viagem a Nova Iorque.

Exclusivos

Premium

Viriato Soromenho Marques

Na hora dos lobos

Na ação governativa emergem os sinais de arrogância e de expedita interpretação instrumental das leis. Como se ainda vivêssemos no tempo da maioria absoluta de um primeiro-ministro, que o PS apoiou entusiasticamente, e que hoje - acusado do maior e mais danoso escândalo político do último século - tem como único álibi perante a justiça provar que nunca foi capaz de viver sem o esbulho contumaz do pecúlio da família e dos amigos. Seria de esperar que o PS, por mera prudência estratégica, moderasse a sua ação, observando estritamente o normativo legal.