Barcelos, Guimarães, Braga e Famalicão mantêm feiras em funcionamento

O decreto publicado em Diário da República admite que as autarquias possam autorizar a realização de feiras e mercados nos municípios com maior incidência de casos de covid-19.

Os municípios de Barcelos, Guimarães, Braga e Famalicão vão autorizar a realização das feiras locais, seguindo todas regras sanitárias referidas, dando assim cumprimento ao regime de exceção previsto no decreto publicado em Diário da República, no âmbito das novas restrições para os 121 concelhos com maior incidência de contágios de covid-19.

De acordo com o diploma, a feiras estão proibidas, sendo apenas permitidas se as respetivas câmaras municipais emitirem autorizações para que elas se possam manter em funcionamento. Na prática é isso que vai acontecer nestes concelhos do Minho, todos inseridos nas zonas de maior incidência de contágios.

A feira semanal de Barcelos, uma das maiores e mais antigas de Portugal, é uma das que vão continuar a funcionar. Em videoconferência de imprensa, Miguel Costa Gomes, presidente da câmara barcelense, congratulou-se com o "recuo" do governo na proibição da realização de feiras e mercados deixando desde logo uma certeza: "A feira de Barcelos e o mercado vão funcionar, com as regras que se impõem."

Guimarães e Vila Nova de Famalicão também já adiantaram que as feiras e mercados locais vão continuar, desde que verificadas e acatadas as condições de segurança e o cumprimento das orientações definidas pela Direção-Geral da Saúde.

Em Braga, e segundo disse nesta terça-feira o presidente do município, Ricardo Rio, já foi solicitado à autoridade de saúde pública a "validação" de todas as feiras, designadamente a semanal, a do mercado na zona do mercado municipal e a biológica no Mercado Cultural do Carandá.

As feiras e os mercados de levante vão poder continuar a funcionar nos 121 concelhos sujeitos a medidas mais restritivas para conter a covid-19 caso tenham autorização das respetivas autarquias, de acordo com o que foi publicado em Diário da República.

No sábado, o Conselho de Ministros anunciou, após uma reunião extraordinária, que 121 municípios vão ficar abrangidos, a partir de quarta-feira, por medidas mais restritivas para conter a pandemia, entre as quais a proibição de feiras e mercados de levante.

Um mercado de levante é um espaço onde os comerciantes, todos os dias, montam as suas bancas de manhã para à tarde as desmontarem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG