Não há sobreviventes no acidente do IC8 que matou seis pessoas

As vítimas serão jovens entre os 21 e os 28 anos de duas empresas de construção. IC8 esteve cortado várias horas mas já foi reaberto

O Comando Distrital de Operações de Socorro e a GNR de Leiria adiantaram que não há sobreviventes do acidente desta manhã entre duas carrinhas no IC8. As operações de desencarceramento retiraram seis vítimas.

Segundo fonte da GNR, o trânsito começou a circular sem condicionamentos pelas 13:00, depois de a via ter estado encerrada cinco horas

Fonte da Guarda confirmou aos jornalistas que se trata de duas viaturas de transporte de mercadorias, cada uma também com capacidade para seis passageiros, que ficaram completamente encaixadas uma na outra. "Neste momento, está a proceder-se a trabalhos para remoção dos cadáveres", explicou o comandante da GNR Daniel de Matos aos jornalistas no local.

As vítimas serão jovens entre os 21 e os 28 anos de duas empresas de construções

Os ocupantes de uma das viaturas seriam trabalhadores da freguesia de Carnide, uma localidade a 12 quilómetros de Pombal, apurou o DN. As vítimas serão jovens entre os 21 e os 28 anos de duas empresas de construção, a Ihaugusto, de Casal da Clara, e a Pavimilhas.

O acidente aconteceu no IC8, sensivelmente ao quilómetro 34, junto a São João da Ribeira, numa reta, numa altura em que se registava forte nevoeiro. Este itinerário complementar faz a ligação entre a A 17, junto ao Outeiro do Louriçal (Pombal), e a A 23, perto de Vila Velha do Ródão.

As viaturas seguiam em direções opostas, segundo a GNR.

Esta segunda-feira de manhã, a cerca de três quilómetros do local do acidente, uma das viaturas envolvidas no acidente tinha sido mandada parar pela GNR no âmbito de uma ação de fiscalização de peso. Neste veículo seguiam quatro pessoas e transportavam ferramentas de trabalho.

Bombeiros não encontraram "ninguém com sinais vitais"


O comandante dos Bombeiros Voluntários de Pombal, Paulo Albano, disse à Lusa que quando os primeiros meios chegaram ao local algumas vítimas já não tinham sinais vitais.

"Logo que os primeiros meios chegaram ao local, perceberam que dificilmente iriam conseguir retirar alguém com vida. Os que se conseguiram de imediato avaliar já estavam em paragem cardiorrespiratória. E não encontrámos ninguém com sinais vitais", revelou Paulo Albano, ao salientar que a principal preocupação foi de "imediato tentar perceber se havia alguém com vida e conseguir criar espaço para fazer essa avaliação".

Paulo Albano explicou que desde que os bombeiros chegaram ao local que tinham a certeza que seriam seis vítimas, embora tenha havido a informação de oito pessoas, número avançado "na chamada inicial".

"Mas só depois do desencarceramento e de criarmos acessos às vítimas é que confirmamos as seis vítimas", acrescentou.

As causas do acidente vão ser investigadas pelo Núcleo de Investigação da GNR, que apenas avança o que foi constatado no local: a viatura que seguia no sentido Pombal-Figueira da Foz entrou na faixa de rodagem contrária e colidiu de frente com o outro veículo ligeiro de mercadorias, tendo-o arrastado cerca de 12 metros.

Paulo Albano informou ainda que os trabalhos de desencarceramento foram demorados, uma vez que o embate "provocou deformação em ambos os veículos" e "todo o habitáculo dos passageiros foi destruído".

Paulo Albano informou ainda que no local estiveram os Bombeiros Voluntários de Pombal, com dois veículos de desencarceramento, duas ambulâncias, um veículo de combates a incêndios urbanos e um veículo de comando.

Presentes na ocorrência estiveram também duas ambulâncias dos bombeiros de Soure, "que acabaram por ser desmobilizadas", e as ambulâncias do INEM e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação.

Fonte do INEM disse à Lusa que os meios de apoio médico das unidades do Centro e do Porto foram para o local para apoio psicológico aos familiares.

31 operacionais e 13 viaturas de apoio

No local estiveram 31 operacionais, apoiados por 13 veículos, dos dos bombeiros de Soure, Pombal, INEM e GNR. E também "duas equipas do destacamento de trânsito de Leiria que estão a proceder à recolha de vestígios para posterior inquérito", disse o comandante Daniel de Matos.

De acordo com o Centro Distrital de Operações e Socorro (CDOS) de Leiria, o alerta para o acidente foi dado às 7:04, numa altura em que se registava um forte nevoeiro na zona.

Durante o período em que o IC8 esteve impedido, o trânsito fez-se pela Estrada Nacional 238.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG