124 pessoas vão passar a noite no Portimão Arena

O pavilhão está preparado para receber 400 pessoas. Hotéis fornecem as refeições. As crianças têm brinquedos e veem filmes.

124 pessoas vão dormir esta noite no Portimão Arena, um pavilhão que recebe geralmente eventos desportivos, feiras e exposições mas que, desde domingo, está transformado em "porto de abrigo" para todas as pessoas afetadas pelo incêndio que lavram na região de Monchique, no Algarve.

Alinhados no chão estão os colchões cedidos pela Proteção Civil. As almofadas e os lençóis brancos foram emprestados pelos hotéis e por várias instituições da cidade. Os balneários estão a funcionar para que todos possam tomar banho, há toalhas e gel, fraldas para as crianças e todos os produtos básicos necessários. Não será tão confortável quanto uma unidade hoteleira mas dá para descansar, garante a presidente da Câmara de Portimão, Isilda Gomes, que já dormiu ali duas noites.

"Esta é uma operação em grande escala. Estamos a fazer tudo o que é possível fazer e posso-vos garantir que neste momento temos capacidade para receber aqui 400 pessoas", diz a presidente da Câmara. "Mas esperemos que não seja necessário."

A operação montada em Portimão tem três pontos. No Quartel dos Bombeiros fica o comando e o posto de recolha de donativos. Não foi preciso fazer qualquer campanha ou apelo à população, explica ao DN uma das bombeiras de Portimão: "As pessoas começaram a aparecer e a trazer coisas e depois organizaram-se através da Internet." Água, barritas de cereais e sumos foram alguns dos produtos que chegaram. Mas também produtos de higiene e roupas.

Na Escola Básica Júdice Fialho foi instalada uma cozinha provisória e estão a ser preparadas as refeições que depois são distribuídas a todos os operacionais que estão no terreno. Finalmente, no Portimão Arena fica o abrigo onde estão a chegar todas as pessoas que foram evacuadas das suas habitações, nos concelhos de Monchique, Portimão e Silves. Por ali já passaram cerca de 170 pessoas, mas algumas foram para casa de familiares ou eram veraneantes que se encontravam ali de férias e já voltaram para casa.

Esta noite são 124 os que vão ali dormir, dos quais 24 são crianças dos 8 meses aos 12 anos. "Temos um cantinho especial para as crianças, com tudo o que elas precisam, inclusivamente brinquedos", conta Isilda Gomes. No auditório, estão a exibir filmes para entreter os mais novos. Algumas famílias com crianças ocupam os gabinetes para estarem "mais à vontade" e até há espaço para os animais de estimação. "O ambiente é tão tranquilo que algumas famílias foram esta tarde à praia", conta a presidente, sublinhando ainda que durante a noite não se ouviu qualquer choro de criança ou qualquer cão a ladrar. "Queremos que todos se sintam confortáveis", diz.

Na operação estão envolvidos "centenas de voluntários". "Toda a gente se disponibilizou para ajudar", afirma a autarca. As refeições são fornecidas por vários hotéis. Os técnicos da Segurança Social fazem a triagem de todos os que chegam e acompanham as situações mais graves. Médicos e enfermeiros deslocaram-se do hospital e do centro de saúde de Portimão para prestar os cuidados necessários.

Neste momento, no concelho de Portimão o fogo está controlado, garante a presidente. "Não podemos dizer que não haverá reacendimentos, mas neste momento está tudo bem." Com menos essa preocupação, o município preocupa-se em ajudar aqueles que precisam: "Não sabemos quanto tempo as pessoas vão ficar aqui. Neste momento ainda não há autorização para subir para Monchique, as estradas estão cortadas. Ficarão aqui enquanto for necessário. Temos de libertar os operacionais da preocupação de estar alguém nas casas, eles estão a combater o incêndio e nós garantimos que as pessoas estão bem. Esta é a sua casa temporária."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG