A Apple está-se nas tintas para os clientes do Mac?

A sucessão de disparates que nesta semana foram protagonizados pela Apple dá vontade de rir, ainda que se trate de algo muito sério. Tentemos sintetizá-los cronologicamente:

1. Terça-feira, o especialista em segurança informática Lemi Orhan Ergin anunciou no Twitter ter descoberto o que classificou como "ENORME" (assim, em maiúsculas) problema de segurança no Mac OS High Sierra - o mais recente sistema operativo dos Macs.

O problema descreve-se de uma forma muito simples: o "buraco" de segurança permite a qualquer pessoa aceder ao conteúdo da máquina (e com privilégios de administrador) sem precisar de introduzir uma password.

Como? Basta ir à aplicação Preferências do Sistema escrever root no campo do utilizador, fazer enter duas ou três vezes e fica desbloqueado o acesso à máquina como administrador!

Pior! Como descobriu de seguida a empresa de segurança informática Malwarebytes, ainda que este bug não afete à partida o desbloqueio no ecrã inicial do Mac, basta que uma máquina tenha sido acedida uma vez apenas aproveitando aquela falha e o sistema já passa a abrir escrevendo root sem colocar password até no arranque...

2. A Apple reagiu logo. Começou por divulgar um comunicado afirmando estar a trabalhar numa solução e com instruções para criar uma password para o "utilizador" root, de forma a impedir o desbloqueio automático.

Menos de 24 horas depois, a empresa de Cupertino lançou uma atualização do OS para colmatar a falha. E os fãs rejubilaram com tal velocidade de resposta. O blogue especializado 9to5Mac, por exemplo, fartou-se de escrever loas à capacidade de resposta da maçã. E no entanto...

3. Esta atualização de quarta-feira aparentemente resolveu, de facto, o bug em causa, mas fez que deixasse de funcionar um sistema nativo de partilha de ficheiros. Grande ups!, que para ser resolvido implicava ir mexer nas entranhas do sistema - nada de muito complicado, mas são áreas que, provavelmente, a maioria dos utilizadores dos Macs nem têm qualquer interesse em saber que existem...

4. Sexta-feira chegou nova atualização, para colmatar a falha criada pela atualização anterior. Só que traz consigo um pequeno problema: regressa o bug de segurança original, o tal de escrever root e fazer enter três vezes para entrar!

A bronca não fica por aqui: vários utilizadores Mac (ainda o serão?!) reportaram este sábado à revista Wired que agora nem a instalação da correção original resolve o problema...

Dá ou não dá vontade de rir?!

A gravidade do assunto, no entanto, não deve ser menosprezada. Por um lado, porque as questões de segurança informática são cada vez mais prementes. A dependência da sociedade de sistemas eletrónicos faz que estes tenham de ser a primeira e a última linha de defesa do nosso atual estilo de vida. Além disso, a política de bring your own device que as empresas cada vez mais adotam tornam ainda mais fundamental os sistemas de segurança individuais - imagine alguém mal-intencionado entrar através deste método num Mac particular de um funcionário de uma companhia elétrica, por exemplo, quando este está ligado à rede do serviço...

Noutra vertente, a tragicomédia protagonizada pela Apple nos últimos dias é reveladora de quão acertada é a ideia - que muitos observadores têm manifestado nos últimos anos - de que os departamentos ligados ao Mac têm sido relegados para segundo plano em Cupertino. A empresa está muito mais focada no iOS dos iPhones e iPads e no Apple Watch, deixando para trás os interesses dos indefetíveis fãs do Macintosh. Só isso justifica as mornas atualizações de sistema que o MacOS tem sofrido, sem sequer se pensar em adaptá-lo a ecrãs táteis.

Claro que há uma solução simples para tudo isto: instalar o Windows 10 no Mac. E não se fala mais nisso!

Exclusivos