Música para virgens de ouvido

O álbum de capa branca só com o nome da banda e o número de impressão na capa chamava a atenção. Tinham um nome conhecido, The Beattles, e ouvira semanas antes uma canção deles diferente do que era habitual: Ob-La-Di, Ob-La-Da. Muito acertadinha, daquelas que Paul McCartney gostava de compor de vez em quando e ficavam no ouvido pela sua futilidade.

Este White Album , no entanto, era uma coisa do outro mundo. Era uma coisa estranha, apesar de esse single fazer parte do alinhamento do disco, porque era um duplo álbum, continha canções poderosas e já parecia distante - mais tarde iria entender - do que a banda fizera.

Mas aquele disco de capa branca significava mais, era o primeiro disco que escutava enquanto disco. Um mergulho na cultura da época que até então me passara ao lado. Eram só descobertas: Helter Skelter, uma canção demoníaca, Sexy Sadie, sensual, I'm so Tired, langorosa, Rocky Raccoon, inovadora, Honey Pie, inesperada, Back In The U.S.S.R., fogo...E havia aquela que abria o lado 4, Revolution 1. Que guitarras!

Revolution 1 era de Lennon, que olhava para as mudanças do mundo em 1968 com mais acuidade do que os restantes membros da banda e decidiu enfiar o Maio de 68, a Guerra do Vietname, a morte de Martin Luther King e o movimento hippie numa mesma letra. Era a primeira chamada de atenção para os fãs dos Beatles sobre uma sociedade que não era mais a mesma de quando cantaram A Hard Day's Night.

Mesmo a chegar ao fim dos quatro lados do disco vinha outra Revolution, desta vez com o número 9. Uma mistura de sons inesperadamente inaudíveis e destrambelhados, com vozes de John Lennon (fácil de reconhecer), de Yoko Ono e de George Martin. Entre aquelas 30 canções, Revolution 9 ficava de fora sempre que possível. Ouvia-se o título reformulado num number 9 repetido, uns berlindes a cair no chão, uma voz a pular da coluna direita para a esquerda e vice-versa sem parar.

Era um ruído amusical com mais de oito minutos que soava aberrante. É o primeiro ruído de que me lembro.

Exclusivos