Uma flagrante inadequação

O critério elementar de proximidade e de incidência na vida quotidiana é demasiadas vezes esquecido pelos media...

Há anos que se alinha um sem número de explicações para a crise da imprensa, sobretudo da diária. Falava-se antes da rádio e da TV. E agora da Internet. Por vezes da distribuição deficiente, do preço de venda exorbitante e de outras razões. Mais raro é que se fale de conteúdo. De um conteúdo bastante igual um pouco por toda a parte, fruto de raras agências de informação, quando não de uma só. De um conteúdo abundantemente fornecido ou inspirado por direcções de comunicação de interesses privados. Ou de um conteúdo cada vez mais inadequado em relação ao que os cidadãos esperam.

Peguemos na actualidade dos últimos dias. O "furacão" nos Estados Unidos, e mais especialmente em Nova Iorque, foi tema importante de grande parte dos jornais. Até um excelente diário como o El País lhe consagrou três dias de seguida enormes fotos a quatro ou cinco colunas na primeira página. Para não falar já em todas as rádios e televisões que abriram os noticiários com o assunto. Mesmo quando o "furacão" já não passava de mera "tempestade tropical"...

O dito "furacão" passou antes pelas Antilhas e depois pelo Canadá, o que mereceu mais ou menos o silêncio dos media. Porque os media europeus caíram inconscientemente no habitual procedimento que consiste em fazer dos Estados Unidos o centro das atenções. Só que, uma vez mais, a actualidade dos EUA não nos dizia nada respeito. Embora haja europeus que lá residem, como os há aliás no resto do mundo.

O critério elementar que consiste em propor aos cidadãos informações que possam ter incidência na sua vida quotidiana foi uma vez mais esquecido. O que é particularmente grave no caso dos jornais, já que os leitores têm de os procurar e pagar para os poder ler. Admirem-se depois que haja uma falta de interesse cada vez mais abissal dos cidadãos pela informação! Só que, imaginem!, a urgência para os media europeus é neste momento cobrir a comemoração do "11 de Setembro": um acontecimento que foi deles, sobretudo deles...

El País' lança revista feminina

No último sábado de Setembro, o diário madrileno lança um suplemento semanal de 130 páginas, destinado ao "leitorado" feminino, centrado no estilo de vida e na moda, e dando importância às entrevistas. Com uma tiragem de 450 mil exemplares, a nova revista resultará da colaboração entre os grupos Prisa e Condé Nast.

ITV e Mediaset negoceiam acordo

Os grupos britânico e italiano de televisão privada procuram unir forças para tomar o controle da Endemol. Mediaset, grupo da família Berlusconi, detém já cerca de um terço da produtora, sendo o resto detido pelo neerlandês Cyrte e o estado-unidense Goldman Sachs. Endemol reagrupa um total de 80 filiais em 31 países.

Acordo de Rue89 com 'Nouvel Obs''

O sítio francês de informação Rue89 e o de Le Nouvel Observateur lançam um serviço comum de informações desportivas que serão publicadas simultaneamente nos dois. Este acordo surge no seguimento da entrada do proprietário do semanário, Claude Perdriel, no capital do sítio lançado por quatro antigos jornalistas do Libération.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG