Um impertinente de todos os portugueses

Obrigado por ter vindo a Belém, doutor Costa. É só uma formalidadezinha. Seis condições: a 1, a 2, a 4, a 5 e a 6. O doutor vai... Que diz, só lhe dei cinco? Que cabeça a minha, falta a 4, ora cá está... Ah, faltava era a 3! Pronto, tem toda a razão, aqui está ela. Não leia, o meu Facebook já lhe diz do que se trata. O doutor vai para casa, preenche e, para a semana... sim, só para a semana. Bem sabe, fui à Madeira por causa das bananas, neste tenho de ir aos Açores gabar o tamanho dos chicharros. São os custos da insularidade. Bom, como eu ia dizendo... Não insista, tem de ser, até sexta preparo os Açores e para a outra semana você traz-me as respostas. Então, deixe ver, segunda, 30, não. Tenho dentista. Terça é 1 de dezembro, ainda faço feriado, depois mete-se a quarta... quinta... O melhor é vir cá a Belém na outra semana. Olha, não dá: dia 8 é da Imaculada Conceição. Depois, volta a ficar apertado... Na semana de 14 é para as compras, a doutora, aí, não cede. Depois é Natal, e quem diz Natal diz Ano Novo. Que me diz trazer as respostas preenchidas a meados de janeiro? Para dizer a verdade dava-me mais jeito no fim, já ficava para o outro inquilino. Ah, não quer, quer dar as respostas já... Então, pronto, indigito-o no próximo 25 de novembro. Vou a uma homenagem ao Jaime Neves e depois volto aqui para o receber. A menos que queira passar lá no quartel, não? Traga os seus amigos que o apoiam, eles hão de gostar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG