É hoje que Trump se torna imbatível?

Para uma leitura rápida, amanhã, sobre o assunto do dia, hoje. Se Donald Trump ganha as primárias do Ohio, o ainda candidato John Kasich, que é lá governador, desiste. Se Trump ganha na Florida, o estado do senador Marco Rubio, este também desiste.

A primeira daquelas vitórias é menos provável do que a segunda e, a acontecer qualquer delas, Ted Cruz será o cada vez mais único adversário de Trump. O que também trará ao texano a consequência má de disputar com um cada vez mais poderoso Trump.

Ao contrário das primárias anteriores, no Ohio e na Florida os delegados vão todos para o vencedor no estado, não são divididos proporcionalmente. Nas outras primárias do dia, Ilinóis, Carolina do Norte e Missouri, só neste último Trump não é dado pelas sondagens como favorito. A percentagem grande de evangélicos no Missouri pode favorecer Cruz.

O site FiveThirtyEight, especializado em estatística política americana, considera que Donald Trump pode acabar o dia com mais de 784 delegados, faltando-lhe só ganhar 44% dos delegados dos estados onde ainda não houve primárias. E, segundo o site, essa percentagem é bastante abaixo do que ele pode chegar a ter. Na convenção do partido, em julho, quem ultrapassar os 1237 delegados será nomeado candidato republicano para as presidenciais americanas, em 8 de novembro.

Amanhã talvez saibamos se Donald Trump já é imbatível. Entretanto, os americanos continuam divididos. Uns seguem-lhe o slogan: "Make America Great Again", façamos a América outra vez grande. Outros pensam que com ele, o "great" é mais "hate": façamos a América outra vez odiada.

Exclusivos