O novo futuro do PSD

O PSD tem um novo líder e, apesar da enorme expectativa existente, Rui Rio tem desafios pela frente. O primeiro é unir as diferentes tendências existentes no partido, e que não se limitam às duas candidaturas concorrentes no passado dia 13. De facto, o PSD é um partido heterogéneo a diferentes níveis. No plano ideológico, oscila entre a social-democracia militante, o neoliberalismo assumido ou o neoconservadorismo tradicionalista. Mas, em bom rigor, apesar destas tendências ideológico-programáticas, o PSD nunca se identificou claramente com nenhuma delas exceto nos seus primórdios fundacionais. As tendências são, assim, muito mais pessoalizadas do que ideológicas. E ainda que por vezes existam diferenças bem vincadas entre elas, o estilo e a personalidade do líder são geralmente fatores decisivos.

Um dos desafios da nova liderança é então unir pessoas para lá de ideologias. As que estiveram em confronto nas eleições internas mas também outras correntes que não se identificaram cabalmente com nenhuma delas. O momento é portanto de agregar para construir.

Um segundo desafio, que decorre do êxito do primeiro, é o de transformar o PSD num partido alternativo de governo, e não de mera oposição. E para isso devem conjugar-se diversas variáveis. Primeiro, perceber-se que o país está a viver um momento de relativa prosperidade bem além do que se poderia prever há alguns anos. Pelo que o discurso político deve ser reinventado com otimismo e confiança nos portugueses. Segundo, consciencializar-se de que após Portugal inaugurar esta fórmula governativa de maioria parlamentar e constitucional nada fica como antes. O que implica apresentar-se às próximas eleições com a convicção plena de ganhar. Finalmente, perceber-se o papel central do Presidente da República, que refundou o sistema político semipresidencial, gozando hoje de uma popularidade incontestável e de uma ligação afetiva única com o povo português.

Rui Rio tem aqui uma enorme janela de oportunidade. Desde logo de se afirmar como líder incontestável demonstrando que é uma verdadeira alternativa ao atual primeiro-ministro. A firmeza das suas convicções e o modo como encara a vida pública são o garante de um novo futuro para o PSD.

Professor universitário, fundador do Fórum Democracia e Sociedade

Exclusivos