O ano de 1969!

As pessoas nascidas antes do ano de 1944 foram apelidadas de Silent Generation. São quem dá corpo à geração que precedeu os Baby Boomers e diz-se por aí, que este grupo de "silenciosos" é composto por gente mais focada nas suas carreiras que noutra coisa. Diria eu, talvez, que foram a primeira geração workaholics. Será?

Os que nasceram entre 1945 e 1964 são quem dá corpo aos Baby Boomers. Na Europa Ocidental e na América do Norte, os Baby Boomers são os que cresceram num período de alguma abundância e com melhores condições, por exemplo, na educação e na habitação. E eram bem menos silenciosos que os seus antecessores.

E porquê abrir um texto com gerações tão distantes e que provavelmente poucos saberão quais as suas designações? Apenas porque foi destas duas gerações que saíram os responsáveis pelo espectacular ano de 1969.

Tudo aconteceu neste ano! E quando eu digo tudo, é mesmo tudo. No desporto, na tecnologia, no ensino, nas artes e na ciência!

E que ano!

O nosso Eusébio vence a sua primeira bota de ouro, pela brilhante época de 66-68 que fez pelo (nosso) Benfica!

Foi também neste ano que ocorreu a transmissão do que pode ser considerado o primeiro e-mail da história. E acreditem... esta coisa do email mudou as nossas vidas! Mudou de tal forma que por vezes, tenho a secreta e utópica vontade de me cruzar com o sacana que criou esta (tenebrosa) forma de comunicação! Enfim... adiante.

Foi o ano que se viu nascer em Lisboa, mais propriamente na Rua das Flores, a mais antiga, e permitam-me, a mais reputada escola de design do nosso país! Basta googlar...

É também um ano fértil para a música e para o cinema. É o ano de Abbey Road, talvez o melhor álbum dos Beatles, mas infelizmente o último que gravaram juntos. E é também o ano de Easy Rider, esse clássico com Peter Fonda e Dennis Hopper.

Então e o homem na lua? Sim, foi também neste ano, e na missão Apolo 11 que se pisou a lua pela primeira vez e que lá se espetou um pau de bandeira.

E essa bandeira, imagine-se... foi costurada por mãos portuguesas. As mãos de Maria Isilda Ribeiro.

Designer, Director do IADE - Faculdade de Design, Tecnologia e Comunicação da Universidade Europeia

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.