Os maus espíritos

Hillary Clinton fechou as contas das primárias, mas o percurso foi mais sinuoso do que pensou e o desgaste ainda está por medir. Ao contrário de Trump, Hillary não é uma novidade política nem tem propensão para o disparate, muito apreciado nestes tempos. A moderação que emprega no discurso e a experiência acumulada em Washington não são atributos apreciados por muitos americanos e a tentação de ir ao seu encontro anda à solta. Só que ir por aí seria uma capitulação: perdia imediatamente gravitas em áreas como os direitos das mulheres, a imigração, a lei das armas, a saúde ou a diplomacia, e validaria a agenda Sanders que passou meses a contestar. Do que Clinton precisa agora é de estabilizar a coligação de eleitores e afinar uma agenda que exponha o perigo de eleger Trump. Para isso precisa de encarrilar três dinâmicas. A primeira resulta do encontro entre Obama e Sanders previsto para hoje na Casa Branca. Os termos do apoio dado por Obama e a tentativa do presidente em influenciar Sanders para que este atire a toalha ao chão e permita que a convenção de Filadélfia seja um momento de união podem congelar os debates expostos nestas primárias. A segunda dinâmica resulta destes dois hipotéticos apoios e ajudará a acalmar o ímpeto antiestablishment dos eleitores de Sanders. É fundamental que a potencial abstenção de muitos seja invertida por um discurso galvanizador e positivo, sem estar permanentemente enredado no negativismo anti-Trump, e que dê respostas sérias às disfuncionalidades do sistema (político, económico e social). Por fim, Hillary precisa de esclarecer rapidamente o caso do uso indevido do seu e-mail privado quando era secretária de Estado, evitando tornar-se tema central de campanha e prolongue a desconfiança com que muitos a olham. Os maus espíritos têm de estar apenas concentrados em Trump.

Investigador universitário

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.