O discurso do rei

A primeira votação de investidura já tinha mostrado o nível de animosidade entre Sánchez, Iglesias e Rajoy, já para não falar nas incompatibilidades programáticas. No atual quadro apenas o Ciudadanos de Albert Rivera tem estado à altura. Quatro meses depois das legislativas, a lição a tirar é esta: Rajoy está à espera de que o governo lhe caia nas mãos por exaustão de Sánchez e por sentido patriótico de Rivera. Ontem, falhada a maioria simples, consta que o caminho será este: Rajoy iniciará nova negociação com PSOE e Ciudadanos, na expectativa de ter a benevolência de Rivera e beneficiar da dupla derrota de Sánchez. Conta com o prazo extra de 60 dias inscrito na Constituição e só depois, falhada nova investidura, o rei convocará eleições.

Neste cenário, esticado o prazo ao limite, Espanha poderá ter estado seis meses sem um novo governo, o que não sendo inédito na UE não deixa de desgastar ainda mais a sua classe política e expor a frágil qualidade do sentido de compromisso num Parlamento mais fragmentado do que nunca. Mas, ao contrário do que muitos gostariam, o rei está hoje no centro do debate político e constitucional como poucas vezes na história democrática espanhola. Felipe VI, ao ver que o nível de incompatibilidades se mantém antes mesmo dessa segunda ronda negocial se iniciar, pode até nem mandatar Rajoy, optando por encurtar prazos e convocar novas eleições.

Seria, aliás, uma forma de reforçar a coroa no sistema político e um contributo para evitar que novos rompimentos negociais tornassem ainda mais áspera a visão que os eleitores têm dos principais partidos. Se assim for, põe-se outra questão: irão Rajoy e Sánchez a jogo ou reconhecem os seus falhanços? Vontade não falta a uns tantos para tirá-los do caminho. E, num cenário de luta interna apressada, o Ciudadanos é o que mais ganha. Ainda bem.

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.