Brexit e bremain

É impossível prever o resultado do referendo no Reino Unido, mas qualquer que ele seja tudo caminhará diferente a partir de 24 de junho na UE. Digo isto porque o brexit e o bremain têm em comum dois importantes traços. Primeiro, jogam ambos no fio da navalha da política interna: a dimensão da fasquia é tão elevada que o líder derrotado dificilmente se levantará no futuro próximo. Segundo, os dois lados disputam os termos da relação com a UE, embora de forma diferente e com um objetivo antagónico. Vale a pena olhar este segundo ponto. O principal objetivo de ambos os lados é blindar o Reino Unido aos vícios da integração europeia e criar condições prévias para não ser atropelado pelo cenário apocalíptico (mas não improvável) de desagregação da União. O brexit quer fazê-lo com um corte umbilical, pensando que pode negociar favoravelmente o acesso ao mercado único; o bremain valida o acordo de fevereiro com os 27 - que lhe dá o melhor dos mundos -, mas não deixa de incentivar outros a recorrer ao mesmo expediente chantagista. Nada será, por isso, como antes. É a escolha do mal menor. As duas grandes falácias dos brexiters são a "recuperação da soberania legislativa de Westminster" e a "aceleração económica com o fim dos milhões enviados para Bruxelas". No primeiro caso, 98% da despesa pública britânica é hoje controlada por Londres e não por Bruxelas, em áreas fundamentais como a defesa, fronteiras, saúde, educação, pensões, já para não falar na política monetária ou fiscal - não há Estado membro com mais opt-outs nos tratados. No se-gundo exemplo, nunca a eco-nomia britânica foi tão competitiva no pós-guerra como depois da adesão à UE - deixar o orçamento comunitário também implica abandonar o processo legislativo da UE, mesmo continuando a ser influenciado por ele. Boris Johnson é tão perigoso para o Reino Unido como Trump é para os EUA.

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.