A marcha lenta do frentismo

Mesmo que não vença nenhuma região na segunda volta, Marine Le Pen é já a grande vencedora da política francesa. A questão é se será nos próximos ciclos eleitorais. Sabemos que o sistema beneficia os dois grandes partidos (Socialista e Republicano) e restringe o acesso ao poder e ao orçamento de partidos das franjas. Em tese, o sistema favorece a estabilidade nacional e a continuidade euro-atlântica da França. Só que, na prática, o mesmo sistema torna inatingível à Frente Nacional traduzir seis milhões de votos em lugares, consolidando a cada eleição uma frente anti-Frente. Isto tem duas consequências: primeiro, coloca a FN no centro do debate político e da incongruência do sistema eleitoral; segundo, alimenta o sentimento de injustiça política e de desprezo pelo eleitor, que nunca vê o seu voto conquistar representatividade. Ou seja, reforça o quadro de exclusão que já percorre muitos eleitores da FN e torna as reivindicações de Le Pen mais pertinentes aos olhos de quem a segue. Por isso ela vencerá estas eleições mesmo que perca para o voto útil nos outros partidos: a sua mensagem continua a enraizar-se entre muitos franceses, como prova a triplicação de votos entre as regionais de 2010 e esta primeira volta, e a sua popularidade aumenta em contraste com as duas principais caras do sistema e seus diretos adversários, Sarkozy e Hollande. Desta forma, o que pode ser mais um momento de voto de protesto no governo (qualquer intercalar) transforma-se lentamente num voto de convicção na FN, capaz de levar a sua líder ao Eliseu daqui a uns meses. Então, como vai Le Pen explorar um possível infortúnio? De três formas: continuar a financiar-se na Rússia, aumentar os decibéis da frente anti-UE que lidera no Parlamento Europeu, vociferar contra o sistema eleitoral francês. Os frentismos continuarão a marchar na segunda-feira.

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.