Uma Guerra Mundial começar em Guam?

Guam pode ser um distante território dos Estados Unidos no Pacífico, base militar para os americanos e destino de férias para os japoneses, mas nem por isso corre menos riscos de entrar para a história como o local onde começou a Terceira Guerra Mundial. Basta que Kim Jong-un decida passar das palavras aos atos e ataque mesmo o território. O líder norte-coreano costuma sempre falar demais, mas a verdade é que nos últimos tempos insiste numa lógica de desafio aos Estados Unidos que começa a preocupar. Até porque o atual presidente americano, Donald Trump, costuma também medir pouco o alcance daquilo que diz.

Guam ser o ponto de início de uma guerra mundial faz pouco sentido, dirão alguns. Certo. Mas é preciso relembrar que a Primeira Guerra Mundial começou em Sarajevo e a Segunda em Dantzig, nenhuma delas cidades de primeiro plano. E, no entanto, a seguir a Sarajevo vieram quatro anos de guerra e perto de 20 milhões de mortos e a seguir a Dantzig seis anos de guerra e cerca de 60 milhões de mortos. As guerras mundiais podem começar de formas estranhas e nunca se sabe como acabam, a não ser que deixam um rastro de destruição cada vez maior à medida que se avança da primeira para a segunda e, de certeza, quando se avançar da segunda para a terceira. Até porque esta será nuclear.

Costumo ser otimista em relação ao futuro da península coreana. O Sul é cada vez mais próspero e o Norte deveria manter-se dentro dos limites da razoabilidade agora que o poderio nuclear dá garantias ao terceiro da dinastia comunista dos Kim de que não será derrubado como Saddam ou Kadhafi. Mas a verdade é que a escalada verbal de confrontação entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos prossegue, e mesmo a eleição de um presidente moderado na Coreia do Sul, Moon Jae-in, não conseguiu mudar o clima.

Não tenhamos dúvidas de que um ataque a Guam, ou a bases militares americanas na Coreia do Sul ou no Japão, terá uma resposta à altura. Mas antes de ser neutralizada, a Coreia do Norte terá destruído boa parte da do Sul. E como reagirão a tudo isto russos e chineses é uma grande incógnita, aquela que pode significar que ali começa ou não uma Terceira Guerra Mundial. Pensar que o resto do mundo não será afetado é ilusão. O mundo é pequeno. Começou, aliás, a ser pequeno quando o português Fernão de Magalhães iniciou a circum-navegação ao serviço de Espanha e no caminho descobriu Guam.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.