Cova da Moura é Portugal

A ideia de que uma esquadra da polícia pode ser o local mais inseguro para um qualquer cidadão é aterradora, mas ainda se torna mais difícil de aceitar que um inquérito da Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) tenha servido de nada para repor a justiça. No mínimo, houve pouco empenho nesse sentido. O Diário de Notícias revela hoje a acusação que o Ministério Público faz a uma esquadra inteira (18 agentes de Alfragide), depois de uma longa investigação da Unidade Nacional de Contraterrorismo da Polícia Judiciária. Racismo, sequestro, violência e tortura na Cova da Moura. Mas não é apenas a atuação daqueles agentes que pode estar em causa (uma investigação e uma acusação não substituem o julgamento em tribunal), é também a IGAI, pelo que não fez, e o poder político, por fazer de conta que nada se passou.

Em 2015, quando tudo isto terá acontecido, não faltaram as promessas de que seria feita justiça. O Alto-Comissariado para as Migrações e a Comissão para a Igualdade contra a Discriminação Racial fizeram-se ouvir e foi criada uma Comissão de Alerta Precoce para a Cova da Moura. Dois anos depois, em fevereiro deste ano, a advogada dos jovens agredidos escrevia no seu blogue que "todos viraram as costas". A acusação é de tal forma grave e as ofensas que a investigação dá como provadas de tal forma violentas que a opção que fizemos no DN, numa exceção que confirma a regra, foi a de transcrever algumas das ofensas racistas que o Ministério Público acusa os agentes de terem feito. É uma discussão que importa ter sempre presente. O uso ilegítimo da força por uma polícia é sempre condenável e esse crime é agravado se é cometido pelo ódio e discriminação racial em relação às vítimas. Não podemos dizer orgulhosamente que Portugal não é um país racista e aceitar que um caso como este se fique pelas meias-tintas da IGAI e pelo esquecimento dos políticos. Porque se trata de "terrorismo", a investigação foi feita pela UNCT, agora tem a palavra o Ministério Público e os tribunais. Faça-se justiça.

Mais Editoriais

Mais em Opinião

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Opinião
Pub
Pub