O seu filho tem dificuldade em comunicar e brincar?

Quando uma criança pequena mostra dificuldades em brincar e interagir com os pais e os pares, é natural que surjam preocupações. O que significa e o que fazer?

Quando a criança nasce, os pais ficam atentos ao seu desenvolvimento e expetantes em relação ao que aí vem. Focam-se em cada descoberta e aquisição do seu filho, observando se estas ocorrem no período esperado: sorrisos, palminhas e gracinhas derretem a família e alimentam as expetativas de cada nova descoberta. Desejosos de conhecer a sua criança, os pais interpretam a forma como expressa as necessidades, se é simpática, chorona, teimosa, irrequieta e traquina, como é esperado que uma criança seja.

Quando, ao segundo ano de vida, o filho ainda não fala ou não faz o gesto do adeus, não pede ajuda, não se mostra recetivo nem retribui afetos, brinca sozinho, surgem as preocupações. Além do sofrimento dos pais - por não haver uma reação que lhes diga se tudo o que fazem e sentem pelo filho é correspondido -, o facto é que o atraso nestas aquisições pode comprometer o desenvolvimento normativo da criança, até porque a interação com os outros está na base da maioria das aprendizagens. Estes sinais poderão estar associados a uma perturbação da relação e da comunicação, ou futuramente a uma perturbação do espetro do autismo.

Continue a ler na Notícias Magazine.

Ler mais

Exclusivos