O adeus às armas dos militares

Escolheram ser militares por vocação ou curiosidade, não por obrigação. Serviram o país, abdicaram de anos em que podiam estar a fazer carreiras promissoras fora da instituição militar e então acaba. E agora? O que acontece para que a transição para a vida civil seja um ribombar de tambores em vez de um tiro no pé?

Para saber mais clique aqui: www.noticiasmagazine.pt

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.