Xanana e Habibie. A despedida emocionada entre dois símbolos da independência de Timor-Leste

O vídeo mostra Xanana Gusmão a abraçar o antigo presidente da Indonésia numa cama de hospital. Jusuf Habibie foi quem autorizou o referendo que resultou na independência de Timor-Leste. Morreu esta quarta-feira num hospital em Jacarta.

São apenas alguns segundos, mas repletos de emoção. Xanana Gusmão abraça o antigo presidente da indonésia, que está numa cama de hospital. O vídeo, publicado pela BBC, mostra a despedida sentida entre dois símbolos da independência de Timor- Leste.

O ex-chefe de Estado indonésio, Jusuf Habibie, foi quem permitiu a realização do referendo que levou à independência de Timor-Leste. Morreu esta quarta-feira, aos 83 anos, num hospital em Jacarta. Tinhasido internado no início do mês, na unidade de cuidados intensivos, com problemas cardíacos.

Habibie sucedeu ao ditador Suharto, que, em dezembro de 1975, ordenou a invasão de Timor, que já tinha proclamado a independência no rescaldo do 25 de Abril de 1974 em Portugal.

Indonésia anexou então Timor como a sua 27ª província. Portugal contestou esta anexação junto à ONU. Aliás, a comunidade internacional nunca reconheceu a anexação.

Habibie era vice-presidente da Indonésia quando em maio de 1998 o general Suharto resignou ao cargo, numa altura em que se vivia uma grave crise económica na Ásia, que originou várias manifestações violentas nas ruas. Tornou-se presidente do país e levou a cabo várias reformas que conduziram a Indonésia à democracia.

Habibie permite a realização de referendo sobre futuro de Timor-Leste

Antes da queda do regime de ditadura militar de Suharto, a causa de Timor-Leste pela independência ganha maior visibilidade mundial quando é atribuído, em 1996, o prémio Nobel da Paz ao bispo Carlos Ximenes Belo e a Ramos Horta, o rosto da resistência timorense no exterior.

Um reconhecimento da comunidade internacional sobre o que se passava na região que aconteceu depois do massacre no cemitério de Santa Cruz, em 1991. A morte de centenas de timorenses despertou o mundo para a violência que se vivia naquele território desde a ocupação pela Indonésia.

Após mais de 20 anos de ocupação indonésia na antiga colonia portuguesa, é com Habibie no poder que se iniciam negociações com Portugal, na altura com António Guterres como primeiro-ministro e Jorge Sampaio como Presidente da República, para uma solução do conflito. Sob mediação da ONU, Portugal e Indonésia concordam com a realização de um referendo sobre o futuro de Timor. A consulta popular realizou-se a 30 de agosto de 1999. Quase 80% votou contra a integração da indonésia.

Apesar da violência perpetuada pelas milícias pró-Indonesia, após os resultados do referendo, a intervenção pronta da ONU fez com que Timor-Leste se tornasse independente a 20 de maio de 2002. Xanana Gusmão, histórico líder da resistência armada timorense, que chegou a estar preso sete anos, entre 1992 e 1999, foi o primeiro presidente de Timor-Leste livre. Hoje Portugal e Indonésia têm excelentes relações, Indonésia e Timor também.

Exclusivos