Vox ganharia 19 deputados e direita teria maioria absoluta em Espanha

Sondagem GAD3 para o jornal 'ABC' dá a maioria ao PSOE, mas a esquerda debilita-se com a queda do Podemos. A soma de PP, Ciudadanos e a irrupção da extrema-direita no Parlamento permitiria uma maioria absoluta.

Se as eleições espanholas fossem hoje, os socialistas seriam os mais votados com 24,2% dos votos e a eleição de 104 deputados. Mas a esquerda debilita-se com a queda do Unidos Podemos, que não iria além dos 14,2% e dos 38 deputados, e nem o apoio dos partidos nacionalistas garantiria a maioria.

À direita, o cenário é contudo diferente: o Partido Popular elege mais deputados (89) com a conquista de 20,5% dos votos, mas é o Ciudadanos que tem maior percentagem de votos (20,7%), apesar de eleger menos deputados (só 74). A extrema-direita do Vox irrompe no Parlamento espanhol com 19 deputados (8,7% de votos), depois do sucesso das eleições na Andaluzia. Os três partidos têm a maioria absoluta.

A sondagem GAD3, para o jornal ABC, mostra que Albert Rivera, do Ciudadanos, teria a chave da legislatura na mão: além de garantir a maioria numa aliança com o PP de Pablo Casado e o Vox de Santiago Abascal , os seus 74 deputados seriam suficientes para garantir uma maioria com os 104 do PSOE de Pedro Sánchez.

Em relação à anterior sondagem GAD3, de setembro, o PP perde 17 deputados, o PSOE perde dois, o Unidos Podemos perde cinco e o Ciudadanos ganha seis. O Vox sobe 18 deputados em três meses.

Nas eleições de 2016, o PP conquistou 137 deputados (a sondagem dá-lhe hoje menos 48), o PSOE teve 85 (hoje teria mais 19), o Unidos Podemos teve 71 (perderia agora 33) e o Ciudadanos não foi além dos 32 (cresceria agora 42).

As eleições espanholas estão previstas para 2020, mas os socialistas governam atualmente em minoria e Sánchez poderá querer adiantar as eleições para o próximo ano.

Exclusivos