"Viveste e morreste." Poema do xeque do Dubai à mulher em parte incerta

Princesa Haya está desaparecida desde 20 de maio, embora a imprensa britânica afirme que está em Londres. Emir al-Maktoum não esconde a raiva.

O xeque Mohammed bin Rashid al-Maktoum, emir do Dubai, não estará a reagir bem à alegada fuga da última das seis esposas, com os filhos de ambos, Jalila, de 11 anos, e Zayed, de sete.. Conhecido no Médio Oriente por escrever poesia, publicou o poema Viveste e morreste, no qual, sem referir nomes, não deixa grande margem para dúvidas.

"Traidora, traiste a confiança mais preciosa e o teu jogo foi revelado. Os teus dias de mentira acabaram e não importa o que nós éramos e o que és", escreve no Instagram.

Noutra passagem, Rashid al-Maktoum, proprietário de um centro hípico de criação de cavalos puro-sangue, escreve: "Tu deixas as rédeas do teu cavalo ficarem soltas."

Já no seu site encontram-se poemas em inglês, como O Sweetheart, no qual escreve: "Ó querida, nada mais há para dizer/O teu silêncio mortal esgotou-me."

De acordo com a imprensa alemã e britânica, a princesa Haya bint al-Hussein, meia-irmã do rei Abdullah da Jordânia, fugiu com os filhos dos Emirados Árabes Unidos para a Alemanha. Terá pedido asilo, mas como foi recusado viajou para Inglaterra, país onde estudou (política, economia e filosofia em Oxford).

Segundo o The Guardian, o governo britânico terá sofrido pressões para fazer regressar a princesa ao Dubai, a qual terá iniciado um processo de divórcio que deve conhecer uma nova sessão no final do mês.

A família real dos Emirados já foi notícia por más razões no caso da princesa Latifa. A filha do xeque terá escapado do Dubai e foi posteriormente aprisionada na costa da Índia por comandos e forçada a voltar para sua casa. "O meu pai só quer saber da sua reputação. Se virem este vídeo ou estou morta ou estou numa situação muito, muito má", disse num vídeo realizado antes de ter fugido.

As autoridades dos Emirados rejeitaram as alegações sobre o tratamento e o sequestro da princesa Latifa como ficção, dizendo que ela era "vulnerável à exploração" e havia sido sequestrada. E até a ex-comissária para os Direitos Humanos da ONU Mary Robinson apoiou a versão do xeque, após ter visitado Latifa no Dubai. "Latifa é vulnerável e está preocupada. Lamenta o vídeo que fez", disse a ex-presidente da República da Irlanda, antes de dizer que a princesa está "claramente perturbada" e a receber ajuda psiquiátrica.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG