Maduro convoca venezuelanos para debater "grande mudança na revolução"

"Quero que mudemos tudo o que seja necessário. Peço ajuda ao povo", disse o presidente venezuelano.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, convocou na quinta-feira os venezuelanos para debaterem durante 20 dias uma "grande mudança na revolução".

"Quero que mudemos tudo o que seja necessário. Peço ajuda ao povo. Quem mais me pode ajudar, a quem mais posso pedir ajuda, se não ao povo? Ajudem-me a mudar tudo o [que está] mal, a melhorar o país", disse.

Nicolás Maduro falava em Caracas, durante um ato com apoiantes, transmitido pelo canal estatal Venezuelana de Televisão (VTV).

"Convoco a um debate prático, teórico, político, estratégico (...). Vinte dias para um debate com resoluções e propostas concretas. Não quero conversa fiada, nem perda de tempo. Ideias concretas para linhas de avanço", sublinhou.

A Venezuela passa atualmente por uma crise política, económica e social, que se tem agravado nos últimos tempos e que forçou três milhões de cidadãos a abandonar o país.

Neste cenário, Juan Guaidó autoproclamou-se presidente interino da Venezuela, recebendo o apoio da maior parte da comunidade internacional, incluindo Portugal.

A 19 de abril, Guaidó convocou os venezuelanos para uma "grande mobilização" a 01 de maio, contra o regime de Maduro e para assinalar o Dia do Trabalhador.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.