Valls considera renúncia a recandidatura de Hollande "decisão de estadista"

"Como primeiro-ministro conheço a sua coragem e sangue-frio, de um grande dirigente que soube enfrentar adversidades dolorosas para a França", defendeu o primeiro-ministro

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, considerou hoje que a renúncia do presidente François Hollande a recandidatar-se em 2017 é "a decisão de um estadista".

"É uma decisão difícil, ponderada, importante. É a decisão de um estadista. Quero transmitir a François Hollande a minha emoção, o meu respeito, a minha fidelidade e o meu afeto", escreveu Valls em comunicado.

O chefe do governo francês anunciou no passado domingo a intenção de se candidatar às primárias do Partido Socialista. Posteriormente, afirmou que não ia concorrer contra Hollande. "Primeiro, como ministro do Interior e, depois, como primeiro-ministro conheço a sua coragem e sangue-frio, de um grande dirigente que soube enfrentar adversidades dolorosas para a França", acrescentou Valls.

O primeiro-ministro francês indicou que a decisão de Hollande deveu-se também à "constante preocupação de proteger os cidadãos, reformar o país, garantir a recuperação com justiça".

"A ação continua e não duvido de que este mandato vai ser apreciado pelo seu autêntico valor: cinco anos de progresso para França e para os franceses", afirmou Manuel Valls.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG