"Um outro mundo é possível", garante Corbyn em Glastonbury

O líder do Partido Trabalhista britânico foi recebido como uma verdadeira estrela de rock no festival de Glastonbury.

Um dia depois de ter prometido lutar para que o Reino Unido tenha novas eleições - depois de os conservadores de Theresa May terem perdido a maioria absoluta no escrutínio antecipado de dia 8 e de a primeira-ministra ainda não ter chegado a acordo com os unionistas norte-irlandeses - Jeremy Corbyn foi ontem a estrela no festival de música de Glastonbury.

Veja aqui a sua intervenção:

O líder do Partido Trabalhista, que causou a surpresa ao ganhar deputados nas eleições, foi recebido em delírio pela multidão que cantou "Oh, Jeremy Corbyn". Num discurso inflamado, o deputado por Islington Norte, em Londres, defendeu mais justiça social, manifestou o seu apoio aos refugiados e à juventude, disse-se preocupado com o ambiente e desafiou o presidente dos EUA, Donald Trump.

"É justo que tanta gente tenha medo de viver na sua casa? É justo que tanta gente viva na pobreza, numa sociedade com tanta riqueza?", questionou-se. Quanto aos refugiados, Corbyn defendeu estes "seres humanos que procuram um lugar onde viver em segurança".

Terminando com alguns versos do poeta Percy Bysshe Shelley, muito semelhantes ao slogan do Labour, o líder trabalhista, de 68 anos, lembrou: "Nós somos uma multidão, eles são apenas alguns", antes de lançar: "Um outro mundo é possível".

No final, e a acreditar numa foto que partilhou no Twitter, Corbyn foi conviver com os festivaleiros, ajudando mesmo a servir umas cervejas.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG