UE saúda anúncio de trégua na Síria e pede à ONU proposta para transição política

O conflito na Síria, iniciado na primavera de 2011, já provocou mais de 290 mil mortos

A alta representante da UE para a política externa, Federica Mogherini, saúda o acordo alcançado na sexta-feira entre EUA e Rússia para uma nova trégua na Síria e pediu à ONU para preparar uma proposta de transição política.

"O acordo anunciado por Estados Unidos e Rússia, como copresidentes do Grupo Internacional de apoio à Síria (ISSG, as suas siglas em inglês), que restabelece o fim das hostilidades na Síria, é muito bem-vindo", sublinhou Mogherini em comunicado.

Na perspetiva da política italiana, "todas as partes em conflito", à exceção dos grupos designados como organizações terroristas pelo Conselho de Segurança da ONU, devem garantir a "efetiva implementação" do acordo.

A chefe da diplomacia da União Europeia (UE) assinalou que se unem "à presidência do ISSG para exortar a ONU a preparar uma proposta de transição política", que esteja "assente nas relevantes resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas e na contribuição dos partidos sírios".

"A proposta deve servir de ponto de partida para retomar as conversações entre sírios e as negociações diretas facilitadas pelo enviado especial da ONU Staffan de Misstura, que têm o nosso total apoio", afirmou Mogherini.

Washington e Moscovo, que apoiam campos adversos e em confronto na Síria, anunciaram uma trégua que deverá ser iniciada na segunda-feira, o primeiro dia do Aid el-Adha, a Grande Festa que ocorre após a peregrinação a Meca.

O conflito na Síria, iniciado na primavera de 2011, já provocou mais de 290.000 mortos e milhões de refugiados e deslocados, segundo diversos organismos internacionais.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG