Trump prepara coroação. Panteras Negras levam armas

Republicanos reúnem-se até quinta-feira para escolher candidato à Casa Branca. Trump, que ontem culpou falta de liderança pela morte de polícias, é o único na corrida

Sob fortes medidas de segurança, para qualquer eventualidade (até mesmo um ataque terrorista), arranca hoje em Cleveland a convenção dos republicanos, na qual será escolhido o candidato do partido às eleições presidenciais de 8 de novembro nos EUA. O multimilionário Donald Trump, de 70 anos, é o único candidato sobrevivente do processo de primárias e deverá ser coroado na quinta-feira, dia em que está previsto o seu discurso. O potencial para o caos nesta convenção é considerável, uma vez que há delegados a apelar a uma rebelião para travar o rumo de Trump à Casa Branca. O magnata, com negócios por todo o mundo em vários setores da economia, parte também para esta convenção em desvantagem em relação à sua rival democrata, a ex-secretária de Estado Hillary Clinton, confirmou ontem uma nova sondagem realizada para a NBC News e o Wall Street Journal.

Hillary Clinton tem 46% das intenções de voto do eleitorado norte-americano a nível nacional, Trump conta com 41%. Os números mantêm-se iguais em relação à sondagem de há um mês, que foi realizada depois de o diretor do FBI, James Comey, ter ilibado a ex-secretária de Estado de Obama no caso dos e-mails confidenciais. O estudo de opinião ontem divulgado foi também realizado antes de Trump escolher Micke Pence, o atual governador do Indiana, como seu candidato a vice-presidente. O multimilionário deixou a sua escolha para a última hora e só a confirmou na sexta-feira à tarde.

Em Cleveland, cidade do Ohio com 400 mil habitantes, espera-se que estejam 15 mil jornalistas oriundos de todo o mundo e mais 50 mil pessoas por causa da convenção do Partido Republicano. Estão previstas manifestações, tendo os membros do movimento Panteras Negras anunciado que pretendem ir armados, como forma de autodefesa. Como a lei do estado do Olhio permite que os cidadãos carreguem armas, tanto o presidente da Câmara como o chefe da polícia de Cleveland já admitiram nada poder fazer para impedir que os Panteras Negras se apresentem armados. Segundo a WBRZ, afiliada da ABC em Baton Rouge, no Louisiana, os Panteras Negras reuniram-se no sábado naquela cidade para protestar contra a violência policial e formar aí um novo subgrupo. Ontem, na mesma cidade, capital do Louisiana, três polícias foram mortos e três ficaram feridos em mais um episódio de tensão racial nos EUA. Numa reação ao sucedido, Trump culpou a liderança do país. "Choramos os polícias mortos em Baton Rouge . Quantos membros das forças de segurança têm ainda que morrer neste país por causa da falta de lierança neste país? Exigimos lei e ordem", escreveu o republicano, na sua página de Facebook.

Mas armas nas mãos dos Panteras Negras não serão o único problema que enfrenta a convenção do Partido Republicano. Depois de deixar para trás 16 candidatos rivais, durante as primárias, Trump poderá ter de enfrentar uma rebelião de delegados antes da coroação, conforme referiram já media dos EUA, como o Washington Post. Kendal Unruh, delegada do Colorado, rosto da rebelião "Never Trump", perdeu a batalha em que defendia que os delegados votassem de acordo com a sua consciência e não o resultado das primárias, mas mesmo assim insiste que os delegados têm direito de votar como quiserem. Outra opção seria os delegados ausentarem-se durante a primeira votação, na quarta-feira, forçando novas voltas em que poderiam então votar livremente. O melhor é mesmo esperar para ver.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG