Trump e a prisão de Assange: "Não sei nada sobre a WikiLeaks"

Fundador da WikiLeaks foi detido esta quinta-feira em Londres e há um pedido de extradição para os EUA.

O presidente dos EUA, Donald Trump, reagiu à detenção de Julian Assange dizendo que não sabe nada da WikiLeaks.

"Não sei nada sobre a WikiLeaks. Não é a minha cena, Não tenho uma opinião", disse Trump na Sala Oval. "Sei que tem alguma coisa a ver com Julian Assange. Tenho visto o que se passa com Assange, mas isso será uma determinação do procurador-geral, que tem tido um trabalho incrível", acrescentou.

Mas o presidente, na altura ainda candidato, usou por várias vezes as revelações da WikiLeaks em relação à campanha da adversária, Hillary Clinton, tendo publicado 11 tweets sobre a WikiLeaks e outros três sobre Assange desde julho de 2016. Em comícios chegou mesmo a dizer "Adoro a WikiLeals."

"Espero que as pessoas estejam a ver o comportamento miserável da Hillary Clinton que foi exposto pelo WikiLeaks. Ela não está capaz de concorrer [à presidência]", escreveu a 11 de outubro de 2016, por exemplo.

"Os media desonestos gostam de dizer que eu concordo com o Julian Assange -- falso. Digo simplesmente o que ele diz, cabe às pessoas decidirem sobre a verdade. Os media mentem para fazer parecer que eu sou contra "[os serviços de] informação" quando sou um grande fã", escreveu em duas mensagens a 5 de janeiro de 2017.

Julian Assange, fundador da WikiLeaks, foi detido esta manhã na embaixada do Equador em Londres, onde tinha pedido asilo há quase sete anos, para evitar uma extradição para a Suécia onde era procurado por alegada violação e agressão sexual. A detenção surge porque violou os termos da fiança que tinha pago, ao não comparecer diante de um tribunal britânico em 2012, mas também por um pedido de extradição feito pelos EUA, onde é acusado de conspiração e arrisca uma pena de cinco anos de prisão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG