Mais três detidos por atentado (falhado) contra Nicolás Maduro

Um dos detidos preparava-se para fugir do país e as suas declarações "envolvem os governos da Colômbia, do México e do Chile".

As autoridades venezuelanas detiveram mais três pessoas, alegadamente envolvidas no atentado frustrado, em 4 de agosto, contra o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou este domingo o ministro venezuelano de Comunicação e Informação.

"Na madrugada de sábado foi capturado por organismos de segurança do Estado venezuelano o senhor Henrybert Rivas, aliás 'Morfeó', envolvido no magnicídio frustrado contra o alto comando político e militar de Venezuela", disse Jorge Rodríguez.

O anúncio teve lugar durante uma conferência de imprensa, no palácio presidencial de Miraflores.

"Também foram detidos os cidadãos Ângela Lizbeth Espósito Carillo, apodada La Perrera e o coronel reformado Ramón Santiago Velazco García, apodado de Corocoro", precisou Jorge Rodríguez, que também é vice-presidente para a Comunicação, Cultura e Turismo.

"Hoje aparecem novas provas que incriminam Júlio Borges (opositor, ex-presidente do parlamento) na autoria intelectual de algumas ações de autoria material do atentado em grau de frustração contra o Presidente Nicolás Maduro", adiantou.

Jorge Rodríguez frisou ainda que Henrybert Rivas foi detido quando se preparava para fugir do país e que as suas declarações "envolvem os governos da Colômbia, do México e do Chile, pelo que as embaixadas daqueles países devem esclarecer uma eventual participação em apoio aos terroristas que perpetraram o frustrado magnicídio".

Segundo o ministro, o atentado frustrado foi originalmente planeado para 5 de julho, mas foi adiado para o aniversário da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar) porque os drones que viriam a ser utilizados estavam retidos.

Os envolvidos estiveram hospedados na Venezuela no Hotel Pestana e no Montanha Suites, ambos propriedade de portugueses.

Os dois drones usados foram armados no Hotel Altamira Village, um deles com um quilograma de explosivo C-4 que seria detonado no palco presidencial mas que uma interferência no sinal impediu de atingir o objetivo.

Segundo o ministro, atualmente existem 28 pessoas detidas pelo alegado envolvimento no atentado frustrado.

Em 4 de agosto, duas explosões - que as autoridades dizem terem sido provocadas por dois drones - obrigaram o Presidente da Venezuela a abandonar rapidamente uma cerimónia de celebração do 81.º aniversário da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar).

O Governo venezuelano acusou a oposição de estar envolvida no atentado, em conjunto com opositores radicados no estrangeiro.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.