Três mil pessoas retiradas de casa para reconstruir Ponte de Génova

Foram utilizados 550 quilos de explosivos para demolir a estrutura e tanques de água para evitar a propagação da pó. Reconstrução está a começar.

Quase um ano depois da ponte Morandi, em Génova, Itália, ter colapsado, começou a construção da nova infraestrutura. O primeiro passo foi a demolição das duas torres com cerca de 4 500 toneladas de aço, esta sexta-feira.

Foram utilizados 550 quilos de explosivos para demolir a estrutura. Antes da explosão, que derrubou as torres em oito segundos, segundo a BBC, mais de três mil pessoas foram retiradas da zona e foram colocados tanques de água em redor para evitar a propagação da pó. As estradas num raio de 300 metros foram cortadas.

A demolição da ponte foi acompanhada em direto pelas televisões italianas e contou com a presença do vice-primeiro-ministro Matteo Salvini e do vice-primeiro-ministro Luigi Di Maio. Se a área for considerada segura, os moradores poderão regressar a casa ainda nesta tarde de sexta-feira.

No dia 14 de agosto do ano passado, desabou um dos três pilares da ponte e com ele 200 metros do viaduto de Génova. Destruiu dezenas de veículos e morreram 43 pessoas.

O relatório da tragédia indicou que o pilares que sustinham a ponte tinham vindo a descair lentamente ao longo das últimas décadas, danificados pela maresia. O tráfego da ponte também terá contribuído para aumentar a pressão sobre a mesmas; todos os anos passam ali cerca de 25 milhões de pessoas.

A ponte, projetada por Ricardo Morandi, foi concluída em 1967 e foi restaurada na década de 1990 e em 2016.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG