Arábia Saudita sob fogo: três atentados em menos de 24 horas

Quatro mortos é o balanço dos atentados de hoje, dois deles em mesquitas, no penúltimo dia do Ramadão

Três atentados em três cidades em menos de 24 horas provocaram pelo menos quatro mortos na Arábia Saudita. Os atentados ocorreram esta segunda-feira, no penúltimo dia do Ramadão, mês sagrado para os muçulmanos, no que parece ser uma operação coordenada para atingir diplomatas norte-americanos, xiitas e a cidade sagrada de Medina.

O ataque em Medina foi o único que registou vítimas até ao momento. Uma explosão junto à Mesquita do Profeta na cidade santa saudita de Medina, um dos lugares mais sagrados do islamismo, provocou a morte de pelo menos quatro polícias.

Segundo a Reuters, que cita um canal saudita, o ataque terá sido realizado por três bombistas.

O atentado aconteceu no local onde está sepultado o profeta Maomé, sendo Medina a segunda cidade sagrada mais importante para a religião muçulmana, depois de Meca, e numa altura em que milhares de pessoas visitam a mesquita para rezar.

Minutos antes tinha sido a cidade de Qatif o alvo dos terroristas. Nesta cidade, onde vive grande parte da minoria xiita da Arábia Saudita, registaram-se duas explosões também junto a uma mesquita.

Pelo menos uma das explosões terá sido causada por um bombista suicida e testemunhas contam ter visto partes de corpo espalhados no local, possivelmente do bombista.

O número de feridos e mortos ainda não foi confirmado.

A primeira explosão desta segunda-feira sangrenta aconteceu de manhã e a 10 metros do consulado norte-americano, na cidade de Jeddah. Dois membros das forças de segurança que faziam a guarda no consulado ficaram feridos mas apenas o atacante morreu, segundo a imprensa local.

A polícia saudita terá suspeitado de um homem que circulava na área, nas primeiras horas da madrugada de hoje e quando se aproximou, o homem acionou o que parecia ser um cinto de explosivos, segundo a CNN.

O Notícias Árabes, citado pela agência Efe, refere que as forças de segurança do consulado norte-americano conseguiram impedir o ataque no dia em que os Estados Unidos celebram a independência.

O consulado de Jeddah já tinha sido alvo de um ataque de radicais islamitas em 2004, que resultou na morte de nove pessoas.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.