Suspeito do rapto de Maëlys interrogado sobre um segundo desaparecimento

Nordhal Lelandais foi retirado da cela onde está detido para ser interrogado a propósito do desaparecimento de um militar de 24 anos

O principal suspeito do rapto de Maëlys de Araújo, a menina lusodescendente de nove anos que está desaparecida desde 27 de agosto em França, está a ser ouvido esta segunda-feira por suspeitas de envolvimento no desaparecimento de um jovem militar.

Segundo o jornal Le Dauphiné Libéré, Nordhal Lelandais foi retirado da cela em que está detido na prisão de Saint-Quentin-Fallavier para ser interrogado a propósito do desaparecimento de Arthur Noyer na noite de 11 para 12 de abril.

O militar de 24 anos foi visto pela última vez às quatro da madrugada na cidade de Chambéry, após uma saída com amigos. Decidiu ir sozinho para o quartel, a cerca de cinco quilómetros de distância, e desapareceu sem deixar rasto. De acordo com o Dauphiné Libéré, Lelandais e Noyer frequentavam os mesmos estabelecimentos em Chambéry.

Dias depois do desaparecimento do militar, o Ministério Público abriu um inquérito por sequestro.

As autoridades estarão igualmente a fazer buscas em casa e na cela do suspeito do rapto de Maëlys, relacionadas com o desaparecimento de Noyer.

Maëlys de Araújo desapareceu na madrugada do dia 27 de agosto, de uma festa de casamento em Pont-de-Beauvoisin, a 85 quilómetros de Lyon, no sudeste de França. Nordhal Lelandais nega qualquer envolvimento no desaparecimento da criança, mas está detido por suspeito de homicídio e rapto.

Exclusivos

Premium

Legionela

Maioria das vítimas quer "alguma justiça" e indemnização do Estado

Cinco anos depois do surto de legionela que matou 12 pessoas e infetou mais de 400, em Vila Franca de Xira, a maioria das vítimas reclama por indemnização. "Queremos que se faça alguma justiça, porque nunca será completa", defende a associação das vítimas, no dia em que começa a fase de instrução do processo, no tribunal de Loures, que contempla apenas 73 casos.