Suspeito de ataque no Louvre foi interrogado mas recusou falar

Médicos autorizaram primeiro interrogatório ao suspeito

O suspeito do ataque de sexta-feira no Museu do Louvre, em Paris, foi hoje interrogado pela primeira vez, mas recusou falar com os investigadores, disseram fontes judiciais.

"De momento não quer falar", disseram.

O suspeito, que as autoridades pensam ser um cidadão egípcio, foi atingido com quatro tiros no abdómen depois de atacar um grupo de militares com uma faca.

No sábado, o estado de saúde do suspeito melhorou, mas a polícia não pôde interrogá-lo por estar entubado e incapaz de comunicar.

O primeiro interrogatório realizou-se no hospital Georges Pompidou, em Paris, e foi autorizado pelos médicos, segundo a fonte.

Com base na análise do telemóvel e outros objetos pessoais do atacante, as autoridades suspeitam que se trata de um egípcio de 29 anos, chamado Abdallah El Hamahmy, residente nos Emirados Árabes Unidos e que viajou para França a 26 de janeiro com um visto turístico.

Exclusivos