Trump: "Sr. Putin, é uma honra estar consigo". Presidente russo diz-se "encantado"

Donald Trump e Vladimir Putin reúnem-se à margem da Cimeira do G20. "Acho que está a correr muito bem", disse Trump

Os presidentes dos Estados Unidos e da Rússia já começaram aquela que é a primeira reunião entre os dois desde as eleições presidenciais de 2016. Donald Trump e Vladimir Putin reúnem-se à margem da Cimeira do G20, na cidade alemã de Hamburgo.

"Sr. Putin, é uma honra estar consigo", disse o presidente Trump no fim de uma conferência de imprensa em conjunto com o líder russo. "Eu e o presidente Putin temos discutido vários assuntos e acho que está a correr muito bem e tivemos conversas muito boas", disse Donald Trump.

"Ansiamos por muitas coisas boas e positivas que vão acontecer para a Rússia, para os Estados Unidos e para todos os envolvidos", continuou Trump.

"Estou encantado por poder estar consigo pessoalmente", disse, por sua vez, o presidente Putin, segundo o The Guardian.

"Nós falamos ao telefone mas conversas ao telefone nunca são suficientes", continuou Putin, acrescentando esperar que a reunião traga "resultados positivos".

Os dois líderes já falaram ao telefone em quatro ocasiões após a chegada de Donald Trump à Casa Branca, em janeiro deste ano.

Após estas declarações, Trump e Putin seguiram para um encontro à porta fechada com o secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, e o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov.

Durante a conferência, Trump ignorou as perguntas dos jornalistas que questionavam se os líderes iriam falar sobre as acusações de ingerência russa nas eleições presidenciais dos Estados Unidos.

O primeiro aperto de mão entre os líderes foi notícia em vários meios de comunicação internacionais, já que este encontro é dos mais aguardados no G20.

Este aperto de mão foi divulgado num vídeo publicado no Facebook do governo alemão. A gravação mostrava uma "perspetiva exclusiva" do G20, com vários líderes a socializarem longe das câmaras e até um discreto abraço entre Justin Trudeau e Emanuel Macron.

A relação entre Donald Trump e Vladimir Putin tem sido analisada ao detalhe nos últimos meses, após terem surgido alegações de que o presidente russo estaria a tentar ajudar Trump a vencer as eleições nos Estados Unidos.

Estas acusações têm ensombrado a presidência de Trump e foi nomeado um procurador especial para investigar "os esforços do governo russo para influenciar a eleição presidencial de 2016 e assuntos relacionados", anunciou o Departamento de Justiça norte-americano em maio deste ano.

As ligações entre membros da campanha de Donald Trump e altos funcionários russos estariam no centro do inquérito.

O The Guardian ressalta que não se sabe se Trump e Putin já se tinham encontrado pessoalmente antes desta reunião no G20. Trump disse no passado que já tinha estado com Putin, mas depois desmentiu estas declarações.

A Cimeira do G20, que reúne em Hamburgo os líderes das principais economias do mundo e as potências emergentes, começou hoje centrada no terrorismo internacional. Estão presentes neste encontro líderes de 19 países e um representante da União Europeia.

Antes do início da cimeira, a polícia de Hamburgo voltou hoje a recorrer a canhões de água para dispersar manifestantes que querem bloquear os acessos ao local da reunião, depois de distúrbios que resultaram em 160 agentes feridos e pelo menos 44 detidos.

A polícia de Hamburgo pediu hoje o envio de novo reforço de efetivos antimotim.

Em atualização

Exclusivos